ARTIGO ☼ Lei de Gorjetas regulamenta prática comum em estabelecimentos - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

sexta-feira, 28 de abril de 2017

ARTIGO ☼ Lei de Gorjetas regulamenta prática comum em estabelecimentos

Sabe-se que os donos de Bares e Restaurantes viviam sobre instabilidade e perigo, já que não havia a Lei de Gorjetas que regulamentasse sobre o tema, e os tribunais é quem acabavam definindo o parâmetro. 

Na prática, em sua maioria, os donos de restaurante repassavam parte das gorjetas (entre 7% a 9%) aos garçons e o restante ficava com o bar. Em alguns casos, o garçom tinha salário fixo e não recebia a gorjeta, e raramente ficavam com o montante total pago pelo cliente.

O texto novo define, que gorjeta trata-se não só da importância paga espontaneamente pelo cliente, mas também dos valores cobrados como serviço ou adicional a qualquer título e destinado aos empregados.
Como fica agora com a Lei de Gorjetas?

Segundo a nova lei, a gratificação não constituirá receita dos empregadores, destinando-se apenas aos empregados e seus encargos. As empresas que se enquadram no sistema SIMPLES (regime de tributação federal diferenciado), poderão reter para pagamento de encargos sociais (sociais, previdenciários e trabalhistas) 20% sobre gorjetas e taxas de serviço, e 80% fica com o trabalhador. Já as empresas que tem regime de tributação maior, que não se enquadram no Simples, poderão reter até 33% para pagamento dos encargos citados acima, e 67% fica com o trabalhador.

A porcentagem será destinada á distribuição entre os empregados, que será acordado através de convenção, acordo coletivo ou assembleia de trabalhadores.

Se a empresa suspender a cobrança de serviço instituído há 12 meses, tal valor será incorporado ao salário. E ainda, empresas (restaurantes, bares, hotéis, motéis e estabelecimentos similares), que tiverem mais de 60 empregados, deverão constituir comissão fiscalizadora da cobrança e distribuição/rateio das gorjetas.

No contracheques e na carteira de trabalho, deverá constar o salário fixo, e também o valor pago a título de gorjeta, assim dispõe o texto:
“o empregador será obrigado a anotar na carteira de trabalho e no contracheque de seus empregados o salário contratual fixo e o percentual percebido a título de gorjeta”

O empregador que deixar de seguir a nova regra, estará sujeito á pagar multa ao trabalhador, correspondente a 1/30 da média da gorjeta por dia de atraso, limitado ao salário correspondente fixado pela categoria.

A lei protege bares e restaurantes, e também os empregados, já que agora há parâmetros de cobrança definidos.

E o para o cliente/consumidor, o que a Lei de Gorjetas altera?

Nada muda, o pagamento das gorjetas continua a ser optativo, assim como a proporção a ser paga pelo cliente.

Quer saber mais novidades sobre gestão de escritório de advocacia? Faça seu cadastro no SAJ ADVe receba nossos materiais exclusivos diretamente em seu email.

Post escrito pela nossa colunista Chríssia Pereira.

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90