NAZARÉ ☼ Prefeitura investiga derramamento de azeite de dendê em rio - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

sexta-feira, 5 de maio de 2017

NAZARÉ ☼ Prefeitura investiga derramamento de azeite de dendê em rio

Prefeitura de Nazaré, na Bahia, investiga derramamento de azeite de dendê em rio 
(Foto: Reprodução/Facebook)

A Prefeitura de Nazaré, no Recôncavo Baiano, investiga o derramamento de uma grande quantidade de azeite de dendê no Rio Jaguaripe, que corta a cidade. O caso foi descoberto na última quarta-feira (3) e ainda não há informações sobre os responsáveis.

O secretário de Planejamento e Meio Ambiente do município, Cidney Sacramento, disse que a prefeitura abriu uma investigação para apurar as circunstâncias do ocorrido.

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou que também teve conhecimento do caso, que visitou o local onde houve o derramamento e que pediu à Secretaria de Meio Ambiente do município e ao Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) a adoção de medidas de contenção e também que identifiquem o causador do dano ambiental.

"Logo que fomos informados, fomos ao local verificar a dimensão da poluição, do desastre. Entramos em contato com o Ministério Público e, junto com o órgão, estamos investigando pra poder responsabilizar quem cometeu esse crime", afirmou o secretário, em contato com o site G1 nesta sexta-feira (5).
Conforme Sacramento, a suspeita é de que o derramamento tenha sido feito por alguma fábrica clandestina que opera com azeite na cidade ou durante o transporte do material.

Segundo ele, não foram encontrados, até o momento, vestígios de que o problema tenha sido causado pela única empresa com licença para operar com o produto no município. O site não conseguiu contato com nenhum representante da empresa nesta sexta-feira (5).

"Nossa equipe técnica e ambiental foi lá na empresa [que possui licença para operação]. Averiguamos tudo e não encontramos nenhum vestígio que pudesse ter saído de lá. Com isso, temos duas suspeitas: ou isso ocorreu durante o transporte do material pela terceirizada ligada a essa empresa ou também pode ter sido alguma fábrica clandestina que opera na cidade. Até o momento, no entanto, não sabemos", destacou Cidney Sacramento.

Ainda segundo o secretário, o resultado da análise feita pelos técnicos ambientais no rio, para saber os impactos do derramamento do produto, deve ser divulgado na segunda-feira (8). "Eles vão estar me passando esse relatório sobre o impacto disso na segunda, porque eu pedi com urgência. Nossas equipes estão todas empenhadas nisso", afirmou.

O Ministério Público informou que a promotora Mirella Brito, que foi ao local onde ocorreu o derramamento, aguarda o resultado da investigação para mensurar o real dano ambiental e saber quais medidas judiciais serão tomadas.

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90