SALVADOR ☼ Fiscais que trabalharam no carnaval pela prefeitura ainda não receberam diárias - Observador Independente

EM PAUTA

B2

terça-feira, 9 de maio de 2017

SALVADOR ☼ Fiscais que trabalharam no carnaval pela prefeitura ainda não receberam diárias

Funcionários que prestaram serviço para a Empresa Salvador Turismo (Saltur), para a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), e Secretária Municipal de Ordem Pública (Semop) durante o Carnaval 2017 em Salvador, ainda não receberam a diária acordada pela prefeitura.

Contratados pela empresa terceirizada Ws Service, para atuarem como fiscais durante a folia, os prestadores reclamam de não terem assinado nenhum tipo de contrato, de não saberem o valor correspondente aos dias trabalhados e de não terem uma previsão de pagamento.

Em contato com o site, um dos funcionários que preferiu não se identificar, disse que há 10 anos trabalha no carnaval da capital baiana através da prefeitura e que nos últimos dois anos o atraso do pagamento passou a ser recorrente.

A reportagem entrou em contato com a Saltur, que por meio de nota, informou que “todos os trâmites necessários para viabilização do contrato com a WS Service estão devidamente em ordem. A empresa terceirizada contratada por meio de licitação foi responsável pela prestação de serviços durante o Carnaval, sendo obrigação da mesma a realização do pagamento dos seus contratados. A fim de tentar esclarecer e resolver a situação, a Prefeitura está em contato com a WS Service para entender o motivo da não realização desses pagamentos junto aos seus contratados. Vale lembrar que com base no contrato fechado com a empresa terceirizada, a mesma deve honrar com o pagamento de todos os seus contratados para só então receber o valor acordado com a Prefeitura, cláusula essa que consta nas licitações municipais para dificultar que empresas deixem de pagar seus prestadores de serviço”.

Semop informou que o prazo para pagamento é de até 90 dias e que até o dia 15 de maio a situação seria regularizada.

Já a Transalvador afirmou que não é responsável pelos contratos realizados durante o Carnaval e passou a bola para a Secretaria Municipal de Gestão (Semge), que por sua vez informou que o contrato realizado entre a prefeitura e a Ws Service, rege que a empresa é responsável por fazer os pagamentos aos funcionários e só depois, com apresentação das notas fiscais, é que a prefeitura faz o ressarcimento do valor.

A reportagem também tentou contato com a empresa Ws Service, mas até o fechamento dessa matéria não obteve sucesso.