SANTO ANTÔNIO DE JESUS: CEI do Transporte escolar é arquivado na Câmara de Vereadores - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

quarta-feira, 31 de maio de 2017

SANTO ANTÔNIO DE JESUS: CEI do Transporte escolar é arquivado na Câmara de Vereadores

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investigaria licitação e contratos para o transporte público escolar foi arquivado pela Câmara de Vereadores de Santo Antônio de Jesus em Sessão nesta terça-feira (30). No relatório de autoria do edil Marcus Muniz (DEM), é apontado a existência de irregularidades na dispensa de licitação de um contrato de mais de R$ 2 milhões de reais entre a prestadora de serviço e a administração municipal. Ainda de acordo apontamentos se refere a contratos, um com vigência de três meses no valor de R$ 979,3 mil e outro de igual teor com o valor de R$ 1,8 milhões com validade de 60 dias. De acordo o vereador, o número de escolas e alunos atendidos pelo serviço público não supera aos valores contratados, “o que tem gerado dúvidas são os números de escolas e de alunos não aumentou em relação aos anos anteriores. Mais uma vez a Casa fecha os olhos e assina um cheque em branco e entrega ao prefeito”, expôs.

Para o presidente da Casa, o vereador Antônio Nogueira (PSB), o requerimento não tem fundamento e rebate a palavra do representante afirmando que a Mesa Diretora age de acordo com o regimento interno da Casa, “para solicitar uma Comissão Especial é necessário a assinatura de um terço dos vereadores. Apenas um assinou. Nós temos que cumprir o que a lei orgânica do município manda. Como sua representação não teve apoio da casa nem orientação jurídica, arquivamos esse requerimento”, afirmou. Ainda de acordo Nogueira, a nova gestão na administração do prefeito Rogério Andrade (PSD), tem mostrado uma nova forma de governar e desta forma acabou com problemas referentes ao transporte escolar, que como citou, havia muitos problemas em questão de pagamentos de funcionários e com abastecimento, “Antigamente as crianças tinham que ir andando quatro quilômetros pra escola, era ônibus sendo barrado em posto de gasolina por falta de pagamento de combustível, chegando atrasado nos pontos”, defende.(Voz da Bahia)

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90