FEIRA SANTANA ☼ Homem que matou a filha de 1 ano é condenado a mais de 24 anos de prisão - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

sexta-feira, 9 de junho de 2017

FEIRA SANTANA ☼ Homem que matou a filha de 1 ano é condenado a mais de 24 anos de prisão

Foi condenado a 24 anos e 10 meses de prisão em regime fechado no Conjunto Penal de Feira de Santana, Edmário Carlos dos Santos Oliveira. Ele foi julgado ontem (8), no Fórum Desembargador Filinto Bastos, por ter matado com um tiro a filha de um ano Ana Beatriz da Silva Santana e tentado matar, também a tiros, a ex-mulher Ediene da Silva Santana, no dia 02 de setembro de 2014, no bairro Subaé, em Feira de Santana.

Após o crime, segundo a denúncia, ele ainda perseguiu e atirou contra Jean Santana Leal, filho de Edilene, em outro relacionamento. Apesar da tentativa, Jean não foi atingido.

Pelo homicídio da pequena Ana Beatriz a juíza Marcia Simões Costa aplicou uma pena de 15 anos e dois meses de reclusão e pela tentativa de homicídio contra Ediene da Silva Santana, a pena de nove anos e oito meses de reclusão.

Promotora Semiana Cardoso (Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade)

A promotora Semiana Silva de Oliveira Cardoso considerou a pena justa. “A promotoria ficou satisfeita com resultado porque as vitimas que foram lesionadas, Ana Beatriz, que faleceu, e sua genitora, que teve lesões gravíssimas, tiveram a justiça realizada hoje. A pena é sim adequada ao caso. Embora 24 anos seja muito tempo, pela gravidade do crime é uma pena justa”, declarou a promotora ao Acorda Cidade.




O crime

De acordo com a polícia, por volta das 18h40 do dia 02 de setembro de 2014, Edmário Carlos de Oliveira se desentendeu com a ex-mulher Edilene da Silva Santana, 40 anos, por ter ganhado na Justiça a posse de uma casa, na Rua Sandra Santana, no Parque Nova América, bairro Subaé.


Edmário (Foto: Arquivo)

Durante a discussão ele disparou vários tiros contra a ex-mulher que estava com a filha deles no colo. As duas foram baleadas e socorridas para o hospital, porém a criança não resistiu. Após efetuar os disparos, Edmário ainda perseguiu e atirou contra o outro filho de Edilene, que não foi atingido.

Segundo a denúncia do Ministério Público, os dois viviam juntos e se separaram por conta de ciúmes e diversos desentendimentos. Após o rompimento, Edilene continuou morando na casa construída durante o relacionamento, o que gerou diversas brigas, pois Edmário não aceitava que ela continuasse morando lá com seus dois filhos.

Fotos: Aldo Matos/Acorda Cidade

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90