IRECÊ ☼ Em seis meses de gestão, prefeito de Irecê será investigado em 10 CPIs - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

quinta-feira, 8 de junho de 2017

IRECÊ ☼ Em seis meses de gestão, prefeito de Irecê será investigado em 10 CPIs

Em pouco mais de seis meses à frente da Prefeitura de Irecê, Elmo Vaz (PSB) vem enfrentando seus opositores com críticas e denúncias ao seu governo. Nesta quinta-feira (8), vereadores da oposição protocolaram o pedido de criação de oito Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI). Outras duas já foram protocoladas no dia 15 de maio.

Os vereadores Toinho do Judô (PRB), Consuelo Dourado (PSDB), Espedito Moreira (PTN), José Irisvan de Souza (PSD), Leonardo da Silva (PTN), Margarida Cardoso (PTN) e Valdereis Ferreira (PSD) assinaram o pedido alegando irregularidades cometidas pela administração pública municipal, dentre elas, ausência de publicidade dos contratos celebrados no São João 2017; obra de esgotamento sanitário no bairro Shampoo Charme; contratação de assessoria contábil sem licitação; fraude na licitação da ampliação da Escola Tenente Wilson; violação ao princípio do concurso público com a publicação de edital de credenciamento; compra de R$ 600 mil em combustível sem licitação; decreto sobre gratificações de servidores.

Outro opositor de Vaz, o ex-vereador Pascoal Martins (PCdoB) vem utilizando as redes sociais para também fazer denúncias ao gestor. Martins fala em fraude, improbidade administrativa e irregularidades; cita a contratação de empresa de assessoria contábil, que, segundo ele, só teria sido publicada no Diário Oficial 60 dias após o início efetivo do trabalho. 

A reportagem tentou contato com o prefeito e o secretário de governo, João Gonçalves, mas as ligações não foram atendidas. Por meio de nota, o procurador geral do município, Fernando Loula, se manifestou. “A iniciativa dos opositores ao prefeito Elmo Vaz dá mais uma demonstração de que ainda não saíram do palanque. Não aceitam a derrota. Buscam a todo instante criar factóides para atrapalhar a administração que já aponta resultados melhores, em igual período, que todas as gestões anteriores. Na verdade, com a apresentação de um pedido sem fundamento após apenas 5 meses de gestão indica que se busca desviar a atenção dos cerca de 28 processos movidos contra o ex-prefeito por crimes de responsabilidade. Tão somente. A análise jurídica para instalação de CPI, que a Câmara fará, demonstrará que não há elementos jurídicos para sua criação", pontuou.

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90