FEIRA DE SANTANA: Estudantes aprendem Matemática em aulas no Mercado das Artes e em feiras livres - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

quarta-feira, 19 de julho de 2017

FEIRA DE SANTANA: Estudantes aprendem Matemática em aulas no Mercado das Artes e em feiras livres

Já pensou olhar para peças de um museu e perceber a Matemática? E que tal ver a Matemática em monumentos espalhados pela cidade? Os estudantes do Colégio Estadual Juiz Jorge Farias Góes, localizado em Feira de Santana, a 108 km de Salvador, na região Centro Norte do Estado, estão percebendo, por meio do projeto “Matemática em toda parte”, que é possível aprender a disciplina de forma lúdica e divertida. Para tanto, estão participando de aulas de campo em diferentes locais da cidade, como o Mercado das Artes, o Museu, Bibliotecas e até em feiras livres.

A professora de Matemática, Maria do Carmo Ferreira, é a idealizadora do projeto e explica porque esta experiência torna o processo de ensino e aprendizado dos estudantes mais fácil. “A minha intenção com as visitas é que eles percebam que em tudo no nosso cotidiano envolve Matemática. Mostrei exemplos nas obras, nos preços dos produtos na feira, nos cálculos de porcentagem nas lojas e nas datas. Às vezes, a gente passa despercebido, mas tem Matemática em tudo”, explica.

A estudante Emilly Kelly Fonseca Fiuza, 16 anos, conta que gosta muito de comprar sapatos e que depois destas aulas de campo, nunca mais entrará em uma loja sem prestar atenção nos números, principalmente no que se refere à aos percentuais dos descontos. “Eu achei a atividade interessante, porque percebemos que em nosso cotidiano são encontradas várias formas da Matemática. Até em uma simples compra de um sapato está a Matemática, seja no preço, no cálculo para ganhar desconto e até no prazo para pagamento, se a compra for a prazo”, comenta.
Para seu colega, Marlon de Jesus Oliveira, 18 anos, atividades de campo como estas ajudam o estudante a sair da rotina, incentivam a pesquisa e melhoram o aprendizado. “Além do aprendizado, o passeio com a turma é muito bom. O que mais me identifiquei com a Matemática foi na visita à biblioteca, quando estudamos sobre o tempo histórico das obras e a importância das datas em que foram publicados os livros”, relata.

Como desdobramento das aulas de campo, os estudantes estão fazendo um registro fotográfico que será exposto na Feira de Conhecimento da unidade escolar.(Acorda Cidade)

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90