FEIRA DE SANTANA: Mudança de temperatura faz triplicar atendimento em policlínicas - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

terça-feira, 25 de julho de 2017

FEIRA DE SANTANA: Mudança de temperatura faz triplicar atendimento em policlínicas

A baixa temperatura que vem se registrando em Feira de Santana está aumentando consideravelmente a demanda de urgência e emergência nas sete policlínicas do Município, e também na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) localizada no bairro Mangabeira. Em comparação com o mês de fevereiro, com 29.615, o mês de junho registrou três vezes mais atendimentos, 92.643 e quase a mesma diferença relativo a janeiro, com 37.480.

O aumento começou a ocorrer em março, quando foram realizados 75.243 atendimentos; em maio, 68.902 e em abril, 55.803. A supervisora das policlínicas, Ana Régia Carvalho, explica que esse número expressivo no mês de junho é atribuído as mudanças de temperatura. Geralmente os usuários dão entrada nas unidades apresentando sintomas alérgicos e asmáticos. Por conta disso, os procedimentos mais prestados são de nebulização e terapia com uso de corticoide.

No total, de janeiro a junho de 2016, os atendimentos nessas unidades totalizam 359.686. Durante o primeiro semestre, a unidade que mais se destacou na prestação de serviços foi a Policlínica do Tomba com 68.199 atendimentos. Pela ordem decrescente, seguem as policlínicas da Rua Nova (56.670); Parque Ipê (51.506); George Américo (49.879); Feira X (49.855); Humildes (18.260) e São José (17.866). A UPA prestou 47.451 atendimentos.

As sete policlínicas e a UPA têm assegurado à população o acesso aos serviços de média e baixa complexidade – prestam assistência de urgência e emergência, podendo estabilizar o paciente ou resolver o seu problema em até 12 horas. Atendem casos clínicos de natureza crônica – são aqueles decorrentes de complicações da hipertensão e diabetes, por exemplo - e aguda (suturas, problemas respiratórios, entre outros). Contudo, não prestam serviço de internação hospitalar.

As unidades são informatizadas, o que garante a fluidez no atendimento, diminuindo o tempo de espera e a prestação do serviço de forma segura e de qualidade. A coordenadora das policlínicas, Evani Cerqueira, salienta que os profissionais de saúde, que atuam no serviço de urgência e emergência, passam por capacitações periódicas, além de participarem de reuniões internas e externas para ajuste de condutas, visando assegurar uma melhor assistência aos usuários da rede municipal de saúde.(Acorda Cidade)

Publicidade

Publicidade

Post Bottom Ad

JPG 728x90