SALVADOR: Feira apresenta soluções para combate a causas e consequências da Zika - Observador Independente

EM PAUTA

B2

Post Top Ad

banner gif 728x90

Publicidade

Publicidade

terça-feira, 4 de julho de 2017

SALVADOR: Feira apresenta soluções para combate a causas e consequências da Zika

O que pode ser feito para combater as causas e os efeitos da zika e outras arboviroses, como dengue e chikungunya? Soluções industriais e de serviços serão apresentadas para o público na etapa Nordeste da Feira de Soluções para a Saúde Zika, promovida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com patrocínio e apoio de diversos órgãos, entre eles a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), Senai Cimatec e a Organização Mundial de Saúde (OMS).
Armadilhas para mosquito da dengue e o aplicativo caça mosquito serão algumas das soluções apresentadas na Feira (Foto: Leonardo Rattes/ Divulgação Sesab)
O evento acontece entre os dias 08 e 10 de agosto na Sede do Senai CIMATEC e é aberto para a participação do público. A entrada é gratuita. As primeiras soluções já estão disponíveis para conhecimento do público através do site www.feirazika.unb.br. O cadastro de outras iniciativas pode ser realizado gratuitamente no mesmo endereço até o dia 14 de julho.

Cooperação
“Nós pretendemos mostrar o conjunto de soluções desenvolvidas pela sociedade, serviços e indústria farmacêutica”, resumiu Wagner Martins, coordenador de Gestão e Integração Estratégica (CGIE) da Fiocruz. As iniciativas, segundo Martins, vão desde a captura do mosquito até o tratamento das consequências trazidas pela microcefalia.

Parte das iniciativas a serem apresentadas na Feira Zika Nordeste foram desenvolvidas na Bahia. O Centro de Integração para de Dados e Conhecimento para a Saúde (Cidacs), organismo de pesquisa ligado ao Instituo Gonçalo Moniz (Fiocruz Bahia) vai apresentar, entre outros estudos, a “Plataforma de vigilância de longo prazo para a zika de microcefalia no âmbito do SUS”. Trata-se de um projeto de 30 anos que através no cruzamento de bancos de dados que ver o impacto que a zika teve no desenvolvimento de crianças nascidas a partir do ano 2000, analisando indicadores de educação, saúde, impacto em outras infecções.

Já o Senai Cimatec vai apresentar uma armadilha de plástico que mata as larvas do mosquito Aedes Aegypti e dispositivos tecnológicos para ajudar no desenvolvimento motor e cognitivo de crianças com microcefalia.

A Bahia Farma vai mostrar testes rápidos de zika, dengue e chikungunya, que já estão disponíveis em toda a rede pública de saúde do Estado. O primeiro exame sorológico para detecção do vírus da zika também foi desenvolvido na Bahia e distribuídos para todo o Brasil. A Bahia também vai apresentar a aplicativo Caça Mosquito, que tem o objetivo de mapear focos do Aedes Aegypti utilizando GPS do aparelho celular. 

Das iniciativas vindas de fora, chama a atenção a inscrita pelo Movimento de Ação e Inovação Social (MAIS), do Rio de Janeiro. São brinquedos feitos a base de bacias, papelão e tecido que ajudam no desenvolvimento de crianças com microcefalia.

Outra de caráter inovador é o Programa Mães Produtivas AMAR, inscrita pela Aliança de Mães e Famílias Raras, de Pernambuco, que buscar capacitar profissionalmente mães de crianças com doenças raras em atividades que as permitam conciliar o trabalho com o cuidado com os filhos. 

Importância
O secretário de saúde do Estado da Bahia, Fábio Villas Boas, destacou que houve uma mudança do perfil epidemiológico das doenças transmitidas pelos mosquitos, principalmente pelos Aedes Aegypti. Ele citou a aparição no Brasil de doenças que não existiam por aqui como a chikungunya, em 2014, e a zika em 2015.

“Não sabemos como será o comportamento dessas doenças no futuro. Temos que nos preparar para a introdução de outros vírus que possam introduzir no Brasil pelo mosquito e também eventualmente a longo prazo para novas doenças transmitidas por mosquitos e mutações o que o levem para caminhos impensáveis”, ressaltou, apontando para a importância de ambientes propícios à inovação como a Feira Zika. 

Sequência
A Feira Soluções para Saúde Zika vai acontecer ainda nas outras quatro regiões do país (Norte, Sul, Sudeste e Centro-Oeste). O conjunto de soluções cadastradas no site do evento vai gerar um grande banco de dados público.(Correio)

Post Bottom Ad

JPG 728x90