FEIRA DE SANTANA 🌨️🌦️ Após chuvas, rua fica coberta de lama e moradores cobram solução - Observador Independente

Bahia

lunes, 12 de marzo de 2018

FEIRA DE SANTANA 🌨️🌦️ Após chuvas, rua fica coberta de lama e moradores cobram solução

Foto: Paulo José / Acorda Cidade


Muita lama e dificuldade para transitar. Essa é a situação da Rua Petronílio Pinto, no bairro Baraúnas, em Feira de Santana, na manhã desta segunda-feira (12), após as chuvas que caíram no fim da tarde de ontem. De acordo com os moradores, após a chuva a rua ficou ilhada e era possível até nadar de tanto que a água subiu.

A moradora Lúcia Teles Santana afirmou que essa situação é antiga. “O negócio aqui ontem foi tremendo e sempre acontece isso quando chove. Construíram em cima da lagoa e a situação ficou complicada. A lagoa não suporta o tanto de água e a Rua Petronílio Pinto, por ser a mais baixa, fica cheia de água”, afirmou.
Lúcia Teles cobra uma solução por parte das autoridades. “Eu queria que depois da chuva viesse um trator para tirar a lama que já chega a um metro. Aqui fica cheio de ratos e baratas e as pessoas não estão suportando mais”, relatou.

O morador Orlando dos Santos disse que a água subiu até o teto do carro dele e cobrou uma solução. “Está tudo perdido. Queremos que o prefeito José Ronaldo olhe essa situação, já são mais de 40 anos assim. As autoridades já têm conhecimento disso tudo, pois as reclamações são antigas e várias reportagens já foram feitas nessa rua”, disse.

Em resposta, o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, José Pinheiro, informou que vai tentar fazer um trabalho de melhoria na drenagem subdimensionada, que existe na região. Segundo ele, também existem problemas em outras ruas, mas destacou que a Rua Petronílio Pinto terá prioridade nesse trabalho paliativo que deve ser realizado ainda esta semana.

O secretário disse ainda que existem dois projetos para melhorar em definitivo a situação da Rua Petronílio e outras no entorno. Porém, conforme explicou, não existe previsão para que os projetos sejam colocados em prática, devido a falta de recursos para execução.

“Em um dos projetos, a rede sai do Geladinho desviando pela marginal Zé Falcão para cair na Avenida de Canal. O outro projeto passa pela Rua Riachuelo, descendo até a Avenida de Canal. Com isso, vamos ficar com duas ligações para diminuir, pois ali é uma parte baixa. Esses projetos estão em andamento, mas ainda não temos recursos. O entupimento no local ocorre geralmente por que as pessoas jogam materiais nas ruas”, afirmou. 

Com informações dos repórteres Paulo José e Ed Santos