SALVADOR @ Aberto processo de tombamento de 15 obras de Carybé - Observador Independente

Brasil

domingo, 10 de junio de 2018

SALVADOR @ Aberto processo de tombamento de 15 obras de Carybé

"Fundação da Cidade do Salvador", no Teatro Castro Alves, é uma das obras que 
compõem a lista de tombamento



Foi aberto o processo de tombamento de 15 obras do artista plástico Carybé instaladas em Salvador. Enquanto o pedido da Fundação Gregório de Mattos (FGM) é analisado para ser homologado ou não, as peças permanecem em regime de tombamento provisório. 

A solicitação para o tombamento foi feita pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, a partir da indicação do então conselheiro do Instituto de Arquitetos da Bahia (IAB), Nivaldo Andrade. 

Os critérios de seleção das obras foram a utilização, como referência, do mapeamento de murais e painéis artísticos de Salvador, realizado em 2009 pela professora Neila Maciel, para a Fundação Cultural do Estado da Bahia; a variação de técnicas utilizadas por Carybé, como pinturas, entalhes em madeira e concreto; e a temática da história da Bahia (confira abaixo a lista completa). 

“Carybé atuou ativamente no período de 1950 a 1960, tendo a maior quantidade de painéis em edifícios da cidade, sendo observada, especialmente, a expressão temática, privilegiando elementos da identidade local e a sua qualidade artística”, ressalta a diretora de Patrimônio e Humanidades da FGM, Milena Tavares.

Uma das obras que compõem a lista de tombamento será restaurada pela Fundação. Trata-se do painel artístico que compõe uma das fachadas do Edifício Bráulio Xavier, voltada para a Praça Castro Alves

VEJA A LISTA DE OBRAS PARA TOMBAMENTO

- “Tupinambá”, integrado ao Edifício Tupinambá, no Canela;
- “As Mulheres e os Pássaros”, integrado ao Centro Empresarial Iguatemi;
- “Catharina Paraguaçu”, integrado ao Edifício Catharina Paraguaçu, na Graça;
- “Índios Guerreiros”, integrado ao Edifício Campo Grande, no campo Grande;
- “Orixás”, integrado ao Museu Afro-Brasileiro, na Antiga Faculdade de Medicina, no Terreiro de Jesus;
- “Fundação da Cidade do Salvador”, integrado ao Foyer do Teatro Castro Alves (TCA), no Campo Grande;
-“Panorama de Salvador”, integrado ao Centro Educacional Carneiro Ribeiro - Escola Classe II, no Pero Vaz;
- “As Três Raças”, integrado à fachada da Fundação Casa de Jorge Amado;
- “A Colonização do Brasil”, integrado à fachada do Edifício Desembargador Bráulio Xavier, na rua Chile;
- “Os Pescadores”, integrado ao Edifício Barão de Itapuã, na Barra;
- “Quetzalcoatl”, integrado ao Edifício Cidade de Ilhéus, no Comércio;
- “Progresso” e “Fundação de Salvador”, integrados ao Edifício Cidade de Salvador, no Comércio;
- “Espécies Marinhas”, integrado ao Edifício Labrás, no Comércio;
- “A Colonização do Brasil”, integrado à Agência do Banco Bradesco, na Rua Chile;
- “Bahia”, integrado ao Edifício Guilhermina, no Campo Grande.


atarde