SALVADOR @ Lixo acumulado nas ruas da capital piora risco de doenças no inverno - Observador Independente

BAHIA

25 de junio de 2018

SALVADOR @ Lixo acumulado nas ruas da capital piora risco de doenças no inverno

Em Salvador e RMS é comum encontrar dejetos perto de praias, rios, canais e bueiros. Roy Rogeres | A TARDE SP | Fotos: Tiago Caldas e Alessandra Lori | Ag. A TARDE




Com a chegada do inverno, o acúmulo de lixo nas ruas e praias ocasiona graves consequências para o meio ambiente, que podem interferir diretamente na saúde da população. Em Salvador e região metropolitana (RMS), é comum nos depararmos com dejetos nos arredores de praias, rios, canais e bueiros, o que aumenta a poluição ambiental, além de acarretar transtornos como alagamentos e dezenas de praias consideradas impróprias para banho.

Recentemente, de Periperi a Piatã – passando por Ondina, Rio Vermelho, Pituba, Patamares e Boca do Rio –, 18 praias foram apontadas impróprias para o banho pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), por terem apresentado mais de 20% das amostras coletadas, em cinco semanas consecutivas, resultados superiores a 1.000 coliformes fecais e/ou 800 Escherichia coli, e/ou valores maiores a 2500 coliformes termotolerantes, e/ ou 2000 Escherichia coli, ou, ainda, 4000 enterococos por 100 ml de água. Em todos esses locais, o acúmulo de lixo chama atenção de banhistas.

Ações efetivas e projetos de reciclagem, com a coleta seletiva do lixo, de acordo com a turismóloga e pesquisadora do assunto Roberta Celestino Ferreira, são fundamentais para resolução contínua do problema, uma vez que o destino final do lixo é um dos agravantes da degradação do meio ambiente. 

“A coleta seletiva e a reciclagem de resíduos sólidos são as principais alternativas para redução do volume de dejetos a serem dispostos em aterros ou lixões”, ressalta Roberta.
R$ 830 milhões de reais é o valor estimado do contrato para a prestação de serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos na capital. 
No início deste mês, a prefeitura de Salvador noticiou que dois consórcios e três empresas vão disputar licitação para prestação de serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos. O contrato tem valor aproximado de R$ 830 milhões e vigência de 24 meses. 

Segundo afirmou Marcus Passos, titular da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), visando melhor execução do serviço, o município foi dividido em três lotes, dois para cada região da cidade e um exclusivamente para as ilhas. 

“A partir deste novo processo, esperamos que a limpeza seja executada de forma ainda mais eficiente”, ressalta Passos. 

Pontos limpos

Ainda segundo a Semop, o novo processo deve garantir a existência de 30 pontos limpos, que serão instalados nas proximidades de áreas de difícil acesso para facilitar a coleta. 

Esses locais receberão caixas coletoras de resíduo domiciliar e da construção civil, e contarão com a atuação de quatro agentes, sendo um para manter a área e mais três para realização de coleta de porta em porta.

“Além disso, haverá 17 novas unidades de recebimento de resíduos da construção civil e recicláveis, provenientes de pequenos geradores”, assinalou Passos. Outra novidade é que todos os novos equipamentos serão rastreados em tempo real para um maior controle e qualidade do serviço prestado”, acrescenta. A data para realização efetiva das ações, todavia, não foi divulgada.

Educação ambiental 

Ainda conforme a Semop, a Limpurb é responsável pela coleta dos resíduos sólidos na cidade, e dispõe de equipes de educação ambiental que levam até as comunidades ações de conscientização sobre o descarte regular, com atividades que incluem palestras em escolas, empresas e associações de moradores, teatro de fantoches para crianças, além de ações de porta em porta, orientando sobre a melhor forma de fazer o acondicionamento e o descarte dos resíduos sólidos.

“Qualquer instituição, pública ou privada, pode solicitar à Limpurb o envio de uma equipe de educação ambiental, que incluirá a ação na programação do órgão”, explica.

Além dos PEVs, a prefeitura diz que, através da Limpurb, instalou um Ecoponto no Itaigara, aonde recebe materiais recicláveis, e, que a cooperativa Catadores de Nova República faz a coleta no Ecoponto duas vezes por semana.


atarde
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas