BAHIA @ ESPECIAL TURÍSTICO # Frio na Bahia? Veja opções de destinos para curtir o inverno sem sair do estado - Observador Independente

BAHIA

22 de julio de 2018

BAHIA @ ESPECIAL TURÍSTICO # Frio na Bahia? Veja opções de destinos para curtir o inverno sem sair do estado

Montanhas de Piatã (BA) ficam encobertadas por neblina nos dias de mais frio 
(Foto: Lucas Magalhães)



Engana-se quem acredita que a Bahia se resume a sol e carnaval. O estado também conta com uma série de locais que agradam quem curte temperaturas amenas, belezas naturais e boa gastronomia.

A procura por pacotes de viagem entre os meses de junho e agosto, de acordo com o agente de viagens Celso Santana, partem de pessoas interessadas em fugir da badalação das grandes cidades.

"São pessoas que estão em busca de um lugar sossegado para curtir a dois, na maioria das vezes, e querem um espaço para contemplação da natureza, longe do agito da capital", disse.

Veja um levantamento das cidades baianas que apresentam baixas temperaturas nesta época do ano e que contam com atrativos turísticos. 

Confira:

Vitória da Conquista

Trajeto para o Poço Escuro, Vitória da Conquista (BA) 
(Foto: Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista / Divulgação)


Distância: 510 quilômetros de Salvador

Clima: Conhecida como "Suíça baiana" por causa das baixas temperaturas, a cidade chega a registrar, no inverno, temperaturas mínimas entre 15°C e 9°C.

Atrações turísticas: Uma das atrações da cidade é a estátua do Cristo Crucificado da Serra do Periperi, de autoria de Mário Cravo. A peça, de 1983, tem 15 metros de altura e traz na figura de Jesus Cristo as feições do homem nordestino. O local onde a estátua está instalada funciona como uma unidade de conservação, com cerca de 1.300 hectares de área verde e 15 quilômetros de extensão. O Poço Escuro, reserva florestal sob administração do poder público, dispõe, também de trilhas e flora e fauna preservadas. No mês de agosto, outra opção para curtir o frio em Conquista é o Festival de Inverno Bahia.

Como chegar: A cidade recebe, diariamente, voos no aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo. De ônibus, o acesso é pelas rodovias BR-407, BA-263 e BR-116 (Rio-Bahia), que corta a cidade ao meio

Piatã

Serra da Tromba, em Piatã (BA) (Foto: Acony Santos / Guia da Chapada)


Distância: 572 quilômetros de Salvador

Clima: Piatã é a cidade mais alta da Bahia, com 1.280 metros de altitude. Por isso, é considerada a mais fria do estado, com temperatura que chega a 5°C no inverno. Em 2014, registrou temperatura mínima de 3°C.

Atrações turísticas: Piatã se destaca pelas paisagens montanhosas e clima interiorano. Produz cafés especiais, premiados em concursos nacionais, e por isso, a bebida pode ser consumida em cafés, lanchonetes e nas fazendas, diretamente com o produtor.

As montanhas são uma oportunidade para quem curte esportes radicais, como mountain bike e trekking. O município conta, ainda, com pinturas rupestres e cachoeiras e históricas, como as cachoeiras do Patrício e Cochó e trilhas na Serra de Santana, onde é possível ter uma vista panorâmica da paisagem de Piatã em diversos ângulos

Como chegar: Partindo de Salvador, o percurso até a cidade é feito pela BR-242.

Morro do Chapéu

Trecho da Cachoeira do Ferro Doido, em Morro do Chapéu (BA) 
(Foto: Tatiana Azeviche - Setur-BA / Divulgação)



Distância: 384 quilômetros de Salvador

Clima: Durante todo o ano, a cidade tem temperaturas amenas, entre 16°C e 24 °C. No inverno, já foi registrada temperatura mínima abaixo de 5°C, embora ocorram muito raramente esse extremo.

Atrações turísticas: Morro do Chapéu tem cachoeiras, sítios arqueológicos e cavernas, a exemplo da Gruta dos Brejões, considerada a sexta maior do Brasil, a Cachoeira do Ferro Doido e o Parque Estadual Morro do Chapéu. Na área urbana, a cidade é cercada por uma arquitetura secular que podem ser vistas na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Graça, na capela da Soledade, na sede da prefeitura. A Vila do Ventura, distrito de Morro do Chapéu também se destaca dentre os pontos turísticos por abrigar dois casarios e uma capela do século XX. No mesmo local, é possível chegar à Cachoeira do Ventura. Nas proximidades, o sítio arqueológico Cidades das Pedras também se destaca pelo conjunto de pinturas rupestres.

Como chegar: Partindo de Salvador, o percurso até a cidade é feito pela BA-052.

Palmeiras (Vale do Capão)

Vale do Capão, em Palmeiras (BA) (Foto: Tatiana Azeviche - Setur-BA / Divulgação)


Distância: 439 quilômetros de Salvador

Clima: As temperaturas variam entre 16°C e 26°C. No inverno, a chega menos de 11ºC.

Atrações turísticas: O clima interiorano e a arquitetura colonial são destaques na cidade de Palmeiras. O Vale do Capão, distrito da cidade, é a parte mais famosa. Considerado um dos mais importantes santuários ecológicos do estado, é cheio de cachoeiras. As cachoeiras da Fumaça, da Purificação, do Rio Preto, do Riachinho e de Conceição dos Gatos são paradas obrigatórias para quem não tem medo de água gelada. A noite na vila do Vale do Capão tem diversas ofertas gastronômicas, com pizzarias e cafés famosos. Aos domingos, uma grande feira é montada na praça principal do vilarejo.

Como chegar: Partindo de Salvador, o percurso até a cidade pode ser feito pela BA-052 ou pela BR-116.

Seabra

Igreja do Senhor Bom Jesus, em Seabra (BA) (Foto: Tatiana Azeviche - Setur-BA / Divulgação)


Distância: 456 quilômetros da capital

Clima: A temperatura, durante todo o ano, fica na média de 23°C. No inverno, os termômetros chegam a marcar 10°C.

Atrações turísticas: As opções de passeios vão desde cachoeiras, grutas e até um complexo arqueológico. A cachoeira do Riachão, formada por uma sequência de corredeiras e as cavernas Buraco do Cão, Diva de Maura, Gruta de Santa e Talhão são os locais mais procurados pelos turistas. O destaque entre as belezas naturais de Seabra é a gruta Bolo de Noiva, constituída por um lago, estalactites, estalagmites e fósseis incrustrados na rocha. O Complexo Arqueológico de Alagadiço é uma opção para quem curte um passeio histórico. O local é formado por 19 sítios, conta com painéis de pinturas rupestres e um possível cemitério indígena. A arquitetura antiga da região também chama a atenção dos visitantes. Há também a igreja de Bom Jesus, de 1975, construída em quartzo rosa.


Luana Almeida, G1 BA
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas