FEIRA DE SANTANA @ Decreto isenta credores do pagamento de taxas para protestar uma dívida - Observador Independente

BAHIA

27 de julio de 2018

FEIRA DE SANTANA @ Decreto isenta credores do pagamento de taxas para protestar uma dívida

Crédito da imagem / Padrão OBI



A Bahia acaba de entrar para a lista dos estados brasileiros que operam com o diferimento do pagamento de despesas cartorárias com o protesto de títulos. O Diário da Justiça dessa sexta-feira (27) publicou o decreto nº 542, de 26 de julho de 2018, com a determinação.

Isso quer dizer que as taxas e emolumentos do apontamento de títulos só serão pagas pelo devedor no momento da quitação da dívida ou do cancelamento do protesto. O credor só arcará com as despesas no caso de desistência. Mas é preciso observar quanto à data de apresentação do título, pois apenas os vencidos há no máximo seis meses poderão ser aceitos.

O pagamento diferido é uma iniciativa já adotada por muitos estados, dentre eles Santa Catarina e São Paulo, debatida em âmbito nacional, uma vez que é benéfica para a atividade de protesto, tanto para os cartórios quanto para os apresentantes.

“A iniciativa é vista como um meio de reverter a queda na quantidade de títulos apontados em cartórios de protesto, visto que muitas empresas deixam de usar essa ferramenta nos estados que ainda não trabalham com o pagamento diferido”, destaca Eden Marcio Lima de Almeida, presidente do Instituto de Protesto da Bahia.

Ainda segundo o presidente, o diferimento também beneficia os municípios conveniados com o Instituto de Protesto, uma vez que as prefeituras municipais não terão custo inicial com o apontamento de títulos e poderão receber dívidas no prazo de até três dias.

A expectativa é que com o diferimento o protesto ganhe força no estado da Bahia e proporcione às empresas maior recuperação de crédito com menos custo.
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas