SALVADOR @ Hospital Couto Maia ganha nova sede em Cajazeiras nesta sexta-feira - Observador Independente

BAHIA

6 de julio de 2018

SALVADOR @ Hospital Couto Maia ganha nova sede em Cajazeiras nesta sexta-feira

Espaço tem 17 mil m² e conta com 120 leitos / Henrique Almeida* | Foto: Margarida Neide | Ag. A TARDE



Estruturado para ser o maior e mais moderno hospital de doenças infecciosas do País, após investimento de R$ 110 milhões, a nova sede do secular Hospital Couto Maia (165 anos) foi inaugurada na manhã desta sexta-feira, 6, em Cajazeiras.

A antiga sede, situada no bairro de Monte Serrat, funcionará como retaguarda, atendendo casos menos complexos, como doenças crônicas, acompanhamento ou pacientes pós-cirúrgicos.

O local escolhido para a nova sede é onde ficava o Hospital Dom Rodrigo Menezes, especializado em casos de hanseníase e que foi desativado em 2013.

Em um espaço de 17 mil metros quadrados, com três alas divididas em enfermaria, ambulatório e laboratório, o novo hospital conta com novidades, dentre elas os 27 leitos de pressão negativa (único na Bahia), que impede que os micro-organismos presentes nos pacientes saiam dos quartos, e o setor de imagem, com eletrocardiograma e endoscopia digestiva. A antiga sede apenas realizava exames de raios-X.

Dentre os novos equipamentos estão os de radiologia, ultrassonografia, tomografia computadorizada, endoscopia digestiva, eletrocardiografia e eletroencefalografia. São 120 leitos, sendo dez de unidades de terapia intensiva (UTI) e dez UTIs pediátricas. São 53 leitos a mais em relação aos 67 da antiga sede. A nova estrutura conta com ginásio de fisioterapia, salas cirúrgicas e 300 vagas de estacionamento.

"A mudança é necessária não apenas porque tínhamos uma demanda reprimida, afinal, o outro espaço era muito mais limitado. Mas por uma necessidade, também, de inovação tecnológica. Dessa forma, o hospital está preparado para atender às demandas de toda a Bahia, além de desafios de casos como o sarampo ou a poliomielite", diz a diretora do Hospital, Ceuci Nunes.

Nesse sentido, o hospital se renova para atender os casos de infectologia geral, neuroinfectologia e hanseníase. Os casos mais comuns de internamento são HIV, meningite e tétano. O quadro de funcionários contará com 780 profissionais entre médicos e enfermeiros e 263 no setor administrativo.

O funcionamento deve atingir a plenitude a partir da próxima quarta-feira com o setor de UTI. Na segunda-feira, começa a transferência dos pacientes da antiga sede e o funcionamento do ambulatório.



* Sob a supervisãoda editora Meire Oliveira / ATarde
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas