ILHÉUS @ Estudantes de Ilhéus desenvolvem aplicativo para divulgar pontos turísticos - Observador Independente

BAHIA

2 de agosto de 2018

ILHÉUS @ Estudantes de Ilhéus desenvolvem aplicativo para divulgar pontos turísticos

O projeto do aplicativo foi um dos selecionados e apresentados na 7ª edição da FECIBA, 
realizada em junho, em Salvador




Os estudantes Jefferson Almeida de Jesus, 21, e Caroline Santos Santana, 17, do curso técnico em Manutenção e Suporte em Informática do Centro Estadual de Educação Profissional (CEEP) em Gestão e Tecnologia da Informação Álvaro Melo Vieira, em Ilhéus, estão desenvolvendo o aplicativo #Apptour – Marketing Turístico: uma ferramenta de auxílio do turismo nas cidades com foco tecnológico. 

Ao divulgar pontos turísticos, igrejas, casarões antigos e monumentos históricos do município através do app, eles pretendem oferecer aos visitantes endereços, fotos, vídeos e informações gerais sobre os locais que desejam visitar.

“Percebemos que o turismo é pouco divulgado na região e, por conta disso, resolvemos criar um aplicativo de intervenção para valorizar a cidade, trazendo o aspecto cultural com o foco tecnológico. Com este projeto, Ilhéus vai crescer economicamente, pois a cidade será mais conhecida por turistas, que visitarão os locais divulgados no app”, justificou Jefferson. 

O app foi criado no âmbito do projeto Ciência da Escola,que é desenvolvido pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia com a proposta de estimular a iniciação científica em sala de aula. Por seu alcance e abrangência social, o projeto do aplicativo foi um dos selecionados e apresentados na 7ª edição da Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (FECIBA), realizada em junho, em Salvador.

Como ainda se trata de um protótipo, por enquanto o aplicativo não está disponível para download. Mas a ideia é lançá-lo, brevemente, no mercado, conforme Jefferson e Caroline. Para tanto, eles estão buscando algumas melhorias, a exemplo da leitura do QR Code (código de barras bidimensional) que, segundo os alunos, poderá ser encontrado em placas a serem implantadas nos pontos turísticos. 

Assim, “o usuário poderá obter informações sobre o local visitado ao escancear o QR Code através da câmera de um smathphone ou tablet equipado com a tecnologia de leitura de QR Code”, explicam.

O professor e orientador do projeto, Getilio Pereira Dias Junior, destaca que, além de contribuir para o aprendizado prático dos estudantes, o aplicativo tem uma função social. “O app servirá de objeto de estudo, fonte de informação para guias turísticos e, também, poderá ser implantado em outras cidades com o mesmo propósito de tornar seus patrimônios históricos mais conhecidos”.


atarde
AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Observador Independente.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Observador Independente pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.

Paginas