FEIRA DE SANTANA @ Motoristas da Uber reivindicam reajuste no valor da tarifa e segurança para a categoria - Observador Independente

FEIRA DE SANTANA @ Motoristas da Uber reivindicam reajuste no valor da tarifa e segurança para a categoria

Compartilhar
Crédito da foto :: Paulo José/Acorda Cidade    



A Uber desconta R$ 4,50 em corridas de até 3 km.


Motoristas que trabalham com o aplicativo da Uber em Feira de Santana realizaram uma manifestação na manhã desta segunda-feira (19), em frente ao escritório da empresa, na Rua Leonídio Rocha, bairro Centro e reivindicaram aumento no reajuste da tarifa. Eles também reclamaram da falta de segurança e do comportamento de alguns passageiros.

Segundo o motorista Carmo Cavalcante, a Uber desconta um valor muito alto das corridas realizadas pelos motoristas. A taxa é de R$ 4,50 e para ele, em virtude do aumento da gasolina esse valor que é repassado fica insustentável.

“A gente não tem condições de rodar com esse valor. Está muito defasado e nas corridas até 3 km recebemos apenas R$ 4,50. O preço é muito baixo e a gente precisa manter o carro abastecido, limpo e em boas condições para atender aos clientes”, relatou.

Aldi Carlos Santos Fonte contou à reportagem do Acorda Cidade que trabalha há um ano e meio na Uber. Ele afirmou que, além dessa questão da tarifa defasada, os motoristas sentem-se inseguros com alguns passageiros. Ao aceitar uma corrida do aplicativo, o motorista tem apenas a informação do nome do cliente. Não sabe quem é a pessoa, nem qual o destino que vai seguir durante a viagem.

“A Uber tem deixado a desejar com nós motoristas que servimos à população de Feira de Santana. Há muitos relatos de assalto e agressões de passageiros com os motoristas”, disse.

Lucas Brito, que há cinco meses trabalha no aplicativo, relatou que para ele o maior problema é o comportamento dos passageiros. O reajuste da tarifa é uma forte reivindicação da categoria, mas a postura de alguns clientes deixa os motoristas, além de preocupados, muito vulneráveis.

“Há uns dois meses trabalhar como Uber era legal, dava para me manter. Agora, por exemplo, tem corridas que a gente ganha menos da metade do valor. Uma corrida de R$ 15, ganhamos apenas R$ 4,50. Tem passageiro que, às vezes, entra no carro e acha que pode tudo. Quer entrar bebendo, colocar excesso de pessoas e tudo mais. Tem viagens que quando chegamos ao local, não é a pessoa que pediu pelo aplicativo e sim outro cliente. Dessa forma não compensa”, declarou.





Com informações do repórter Paulo José do Acorda Cidade

Post Bottom Ad

VivaABahia