MUNIZ FERREIRA 💸💸 Tradicional Show e Marcha para Jesus na Praça está ameaçada. Evento dos evangélicos pode não acontecer. Saiba o porquê - Observador Independente

MUNIZ FERREIRA 💸💸 Tradicional Show e Marcha para Jesus na Praça está ameaçada. Evento dos evangélicos pode não acontecer. Saiba o porquê

Compartilhar
Crédito da foto :: Policia Federal do Brasil // Divulgação - Imagem Ilustrativa  




Com uma arrecadação que vem batendo todos os recordes estaduais – mesmo com a crise – o prefeito do município de Muniz Ferreira, no Recôncavo baiano, está rindo à toa.

Do dia 1º/10/2018 ao dia 17/11/2018 o município arrecadou nada mais nada menos que R$ 4.613.746,67 (Quatro milhões ... ). Para um município com pouco mais de oito mil habitantes e um dos menores centros comerciais da Bahia, a arrecadação é recorde no estado.

Arrecadação com ICMS ( Pago pelo Governo do Estado) de 01 a 30/10/2018    R$ 1.149.787,04
Arrecadação com FPM (Pago pelo Governo Federal ) de 01 a 30/11/2018          R$ 1.659.136,60

Note que a arrecadação de ICMS só é divulgada ao final de cada mês pela SEFAZ-Ba., mas pelo andar da arrecadação estadual o município deve finalizar o fechamento do mês 11 com uma arrecadação do ICMS pouco maior que o mês de outubro.

A questão está no contexto em que, apesar da arrecadação saltar aos olhos, a atual gestão ainda não se deu conta que, ao invés de dizer que não tem dinheiro para nada, inclusive para pagamento de professores, deveria entender que o Brasil de hoje é transparente graças à internet. 
NOTA: Transferência extra do FUNDEB no mês de Outubro/Novembro-2018. Para as transferências totais do FUNDEB clique AQUI - As setas VERDES indicam que a arrecadação subiu.

Apenas com o FUNDEB, aquele dinheiro específico para os salários dos professores, no dia 30 e 31/10/2018, além da arrecadação já consolidada o município ainda recebeu mais duas parcelas extras perfazendo um total de R$ 179.783,78 (...).

A arrecadação com o total do FUNDEB neste ano de 2018 chega a R$ 3.465.547,31, sem os extras. 

Com uma Câmara de Vereadores absolutamente omissa na fiscalização, o atual gestor, seguindo os passos do antecessor que desviou milhões em recursos públicos, inclusive do FUNDEB (conforme parecer das contas exarado pelo TCM/BA), não tem a menor explicação para o sumiço dessa dinheirama toda.

Para um município minúsculo em relação aos demais do Estado, a arrecadação que vem recebendo é mais que suficiente para deixar a cidade impecável, obvio se não fosse o desvio de recursos. 

A população precisa reagir e denunciar o caso ao MPE-Ministério Público Estadual e ao MPF-Ministério Público Federal, já que, segundo corre à boca miúda na cidade, o prefeito está engordando o patrimônio pessoal com meia dúzia de veículos novos, o que pode levar ao enriquecimento ilícito. 

Os dados estão sendo catalogados e após publicação desta matéria serão encaminhados ao MPE e MPF que deverá iniciar investigação para apurar a veracidade das denuncias públicas.

A pergunta que se faz é: Cadê a população de jovens, estudantes, professores e desempregados que não reagem e exigem da prefeitura a prestação de contas dessa dinheirama toda?

Sobre o título da matéria é uma alusão às diferenças entre a hora de ir pedir votos aos evangélicos e a hora de retribuir. Sabe-se que não é obrigação legal, mas se não é legal, é obrigação moral. 

Este portal se mantem aberto à publicação de notas de esclarecimentos que for de interesse da prefeitura de Muniz Ferreira e da gestão. 

Post Bottom Ad

VivaABahia