DEPOIS DE MUITA PRESSÃO @ Mineradora realiza primeiro simulado de emergência em barragem de rejeitos em Jacobina - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Audima

7 de fevereiro de 2019

DEPOIS DE MUITA PRESSÃO @ Mineradora realiza primeiro simulado de emergência em barragem de rejeitos em Jacobina

Crédito da foto :: Almakcs Luiz / Reprodução

Adelia Felix



Um simulado de emergência da barragem de rejeitos da Jacobina Mineração e Comércio (JMC), acontecerá no próximo dia 22, em Jacobina, no Centro-Norte Baiano. Na cidade, estão duas barragens de rejeitos de mineração, uma ao lado da outra, denominadas de BI e BII, a primeira em processo de fechamento e a segunda em atividade.

Este será o primeiro simulado de barragens no estado. No dia anterior ao simulado (21), acontece um treinamento realizado pela JMC com instituições e representantes da comunidade.

A atividade será acompanhada pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA), por meio do promotor de Justiça Pablo Almeida. “O MP irá avaliar, juntamente com a empresa e os demais órgãos públicos, as oportunidades de melhorias para atendimento de eventuais emergências”. 

O simulado estava agendado para ocorrer em dezembro, mas foi suspenso por causa das chuvas e da decretação de situação de emergência pelo Município. Em setembro de 2018, equipe técnica da Central de Apoio Técnico (Ceat), do MP-BA, realizou inspeção no local. 

No último dia 22 de janeiro, o promotor de Justiça esteve no complexo para participar de reunião e inspecionou as duas barragens de rejeitos da empresa. Em razão das discussões da reunião, foram adquiridas sirenes de emergência para implantação no local, em continuidade ao trabalho de sinalização das áreas de risco e pontos de encontro.

Procurada, a empresa canadense após o crime ambiental ocorrido em Brumadinho, em Minas Gerais, quando uma barragem de rejeitos rompeu deixando, até esta quinta-feira (7), 150 mortos.

“A barragem de rejeitos da Jacobina Mineração e Comércio está segura e operando de acordo com o projeto. Suas barragens possuem tecnologia diferente da que se rompeu na mina Córrego do Feijão, em Brumadinho-MG. O método de construção utilizado pela empresa é reconhecidamente de menor risco (alteamentos à jusante ou linha de centro)”, tranquiliza.



BNews
-->