Diretora da Vogue Brasil fica fora do júri da Noite da Beleza Negra; Suspeita de racismo - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

11 de fevereiro de 2019

Diretora da Vogue Brasil fica fora do júri da Noite da Beleza Negra; Suspeita de racismo

Crédito da foto :: Divulgação/Instagram 









A diretora da Vogue Brasil, Donata Meirelles, está fora do júri da Noite da Beleza Negra, que escolherá a Deusa do Ébano do Ilê Aiyê para o carnaval deste ano de 2019. A socialite se envolveu em uma polêmica após ser acusada de racismo por ter feito sua festa de aniversário na última sexta-feira (8), em Salvador, com temática que remetia ao Brasil colonial. Muitos interpretaram que as baianas que fizeram o receptivo da festa estavam trajadas de escravas.

Procurado pelo site BNews, de Salvador, o fundador do Ilê Aiyê, Antônio Carlos dos Santos, conhecido como Vovô, afirmou que Donata estava cotada no início para ser uma das juradas, mas ficará de fora porque não estará em Salvador no dia do evento. Ele negou que a diretora tenha sido excluída da lista por causa da polêmica festa.

Após a discussão ter se espalhado pelas redes sociais, Donata pediu desculpas. 

Não era uma festa temática. Como era sexta-feira e a festa foi na Bahia, muitos convidados e o receptivo estavam de branco, como reza a tradição. Mas vale também esclarecer: nas fotos publicadas, a cadeira não era uma cadeira de Sinhá, e sim de candomblé, e as roupas não eram de mucama, mas trajes de baiana de festa. Ainda assim, se causamos uma impressão diferente dessa, peço desculpas,
disse a diretora em publicação na rede social Instagram.

Em entrevista ao mesmo site, Angelimar Sousa, uma das baianas que estiveram no receptivo do evento, também negou que o tema da festa fosse algo relacionado à escravidão. 

Não foi nada de decoração do tempo da colônia ou referente aos escravos. Isso não aconteceu. As quatro cadeiras foram colocadas com a seguinte finalidade: como é um trabalho que você fica andando, nós chegamos para trabalhar lá no espaço por volta das 19h, ficamos até quase 23h, andando pra lá e pra cá, então as quatro cadeiras foram colocadas para que nós ficássemos sentadas quatro, enquanto seis ficavam circulando no salão e nós íamos revezando, para poder poupar todo mundo,

explicou Angelimar.

Post Top Ad

SCB