'Nega Maluca': artista de rua é morto a tiros em briga por cimento no Subúrbio de Salvador - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

SCB

14 de fevereiro de 2019

'Nega Maluca': artista de rua é morto a tiros em briga por cimento no Subúrbio de Salvador

Crédito da foto :: Reprodução/Facebook 



Conhecido no bairro de Paripe, no Subúrbio de Salvador, por seu trabalho como vendedor e animador de festas, o artista de rua Milton Pereira dos Santos, de 50 anos, foi assassinado na noite desta quarta-feira (13), na Rua Humberto Silva, na localidade do Alto do Quilombo, em São Tomé de Paripe. Conforme registro no boletim de ocorrências da Secretaria de Segurança Pública, o crime aconteceu pouco antes das 21h.

Testemunhas relataram que Milton morreu após se envolver em uma briga, supostamente por cimento retirado de uma antiga fábrica localizada na Rua Eduardo Dotto. Entretanto, a versão ainda não foi confirmada pela polícia. Segundo áudios que circulam pelo WhatsApp, ele teria sido alvo de facadas e disparos de arma de fogo. Não há informações sobre a autoria do assassinato.

Segundo o Departamento de Comunicação Social da Polícia Militar, a 19ª CIPM recebeu o chamado da ocorrência e, ao chegar ao local, constatou o óbito. O Departamento de Polícia Técnica (DPT) foi acionado para remoção do corpo.

Famoso no bairro - Milton era bastante popular no bairro de Paripe, onde há anos era visto nas ruas e praias travestido do seu personagem mais famoso, a Nega Maluca. Com peruca 'black', roupa feminina, batom vermelho e tinta preta no corpo, o artista desfilava sua irreverência enquanto empurrava um carrinho de som vendendo CDs e DVDs. 

Era comum também encontrá-lo em festas de aniversário vestido de palhaço.

No Facebook, moradores do bairro lamentaram a morte do artista. "Descanse em paz, grande Milton. Fez história em Paripe com seu personagem de Nega Maluca", postou uma internauta; enquanto outra lastimou a motivação banal: "Por causa de cimento. O amor de todos se esfriou. Só Deus para ter misericórdia". 

Antes de ganhar a vida na condição de artista de rua, Milton trabalhava como motorista. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Post Top Ad

SCB