BRASIL URGENTE @ Ex-presidente Temer é preso pela Operação Lava Jato do Rio - Observador Independente

BRASIL URGENTE @ Ex-presidente Temer é preso pela Operação Lava Jato do Rio

Compartilhar

O ex-presidente Michel Temer (MDB) foi preso na manhã de hoje em São Paulo pela força-tarefa da Operação Lava Jato no Rio. Segundo informações da "GloboNews", o mandado de prisão foi expedido pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. 

Ele será levado ao Rio. "Barbaridade" reagiu o ex-presidente em telefonema ao jornalista Kennedy Alencar logo após a prisão, durante seu trajeto em direção ao aeroporto de Guarulhos. 


Mais informações daqui a pouco.

Imagem: FABIO RODRIGUES POZZEBOM / AGENCIA BRASIL 

ATUALIZAÇÃO 12h16 / 21/03 /2019


A Força-tarefa da Lava Jato do Rio de Janeiro prendeu, na manhã desta quinta-feira (21), o ex-presidente da República, Michel Temer (MDB). O mandado de prisão foi assinado pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Ele foi detido em São Paulo e será encaminhado para a sede da Polícia Federal do Rio. 

Além de Temer , o magistrado também determinou o encarceramento do ex-ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, que também já foi detido. Outros seis mandatos também foram expedidos. Um dos alvos é o coronel João Baptista Lima Filho, apontado pela PF como operador de Temer. Os outros são empresários.

Os mandados são de prisão preventiva. O ex-presidente responde a dez inquéritos, cinco deles em primeira instância e cinco no Supremo Tribunal Federal. Segundo informações preliminares, a prisão teria envolvimento com a delação do José Antunes Sobrinho, dono da Engevix.

O empresário contou à Polícia Federal que deu R$ 1 milhão em propina, a pedido do Coronel Lima e do ex-ministro Moreira Franco. Ainda segundo o delator, Temer tinha conhecimento do esquema. A Engevix fechou um contrato para realizar um projeto na usina de Angra 3.

O jornalista Kennedy Alencar conseguiu falar com o ex-presidente logo após a prisão. Temer disse que se tratava de uma "barbaridade". Também a Alencar, a defesa do emedebista afirmou que considera a prisão "abusiva" e "injustificada".

Michel Temer foi o 37º presidente do Brasil e assumiu o mandato em agosto de 2016, após o impeachment de sua companheira de chapa, Dilma Rousseff (PT). Ele ficou no cargo até o final de 2018 e não disputou o pleito daquele ano.

Temer iniciou a carreira política como secretário de Segurança Pública de São Paulo, em 1985. No ano seguinte, elegeu-se deputado constituinte pelo PMDB e, após a constituinte, foi reeleito deputado federal.

Eleito três vezes presidente da Câmara dos Deputados, ele assumiu a presidência da República interinamente por duas vezes: de 27 a 31 de janeiro de 1998 e em 15 de junho de 1999.

Presidente do MDB (na época PMDB), foi escolhido como vice na chama de Dilma Rousseff já no primeiro mandato da petista, que começou em 2011.


ATUALIZAÇÃO 14h13 / 21/03 /2019


O ex-presidente da República, Michel Temer, foi preso no final da manhã desta quinta-feira (21) por agentes federais que compõem a Força-Tarefa da Lava Jato.

No momento, Temer está respondendo a 10 inquéritos, porém o que o levou para a prisão é um suposto pagamento de propina pela Engevix, a qual tinha um contrato com a Eletronuclear. Tal inquérito tem a autorização do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2019.

Nesse inquérito o ex-presidente já não tinha mais foro privilegiado e agora a investigação está a cargo da Lava Jato. Mais cinco casos já tramitavam no STF, mas eles foram abertos enquanto Temer ainda era presidente.

Entenda as acusações contra Temer

  • 1- Propina de R$ 1 milhão da Engevix: o dono da construtora disse, em uma delação privilegiada, que pagou esse valor de propina, como pedido de João Baptista Filho, que é amigo do ex-presidente, do ex-ministro Moreira Franco – e com o conhecimento de Temer.
  • 2 – Reforma do imóvel da filha: é analisado uma suposta lavagem de dinheiro, que foi usada na reforma de um imóvel de Maristela Temer, em São Paulo.
  • 3 – Superfaturamento em contrato da Argeplan: suspeita de superfaturamento em um contrato que gira em torno de R$ 100 milhões.
  • 4 – Contrato fictício no Porto de Santos: corre esse inquérito delatado por Flávio Calanzas, no qual pode haver um contrato fictício de prestação de serviços que chega a R$ 375 mil.
  • 5 – Contrato irregular entre a Argeplan e a Fibira Celulose: a Justiça Federal do estado de São Paulo está analisando algumas suspeitas de um contrato irregular entre as empresas, que envolvem mais de R$ 17 milhões.

  • 6 – Jantar no Jaburu com a Odebrecht: esse inquérito apura o possível recebimento de R$ 10 milhões em vantagens.
  • 7 – Decreto dos Portos: ele está sendo denunciado por corrupção passiva e por lavagem de dinheiro, por ter um possível envolvimento em um esquema que favorece algumas empresas.
  • 8 – Mala de dinheiro de Rocha Loures: possível envolvimento de corrupção em uma mala recheada com R$ 500 mil.
  • 9 – Tentativa de comprar o silêncio de Eduardo Cunha: está sendo avaliada a tentativa de compra de silêncio do ex-deputado, que está preso pela Lava Jato e também do operador Lúcio Funaro.
  • 10 – Organização criminosa – quadrilhão MDB: Temer pode estar envolvido em um núcleo com outros políticos, que cometem crimes contra empresas e órgãos públicos.

Post Bottom Ad

VivaABahia