Família entra na Justiça contra Hospital São Rafael em Salvador após paciente cair de janela - Observador Independente

Família entra na Justiça contra Hospital São Rafael em Salvador após paciente cair de janela

Compartilhar

A família de José Jorge Gonçalves aguarda a primeira audiência de conciliação da ação contra o Hospital São Rafael, marcada para o dia 1º de abril. A audiência acontece quase cinco anos após a morte do homem e, na ação, a mãe de José, Margarida Santos Gonçalves, pede indenizações por danos materiais e morais.


Shizue Miyazono / BNews


A sobrinha de consideração de José Jorge contou que a família responsabiliza o hospital pela morte do tio, em outubro de 2014, quando ele caiu da janela da unidade de saúde. Segundo a jovem, o hospital foi avisado do quadro de depressão do paciente e, mesmo assim, “não deixou que um familiar o acompanhasse, nem o deixou em um quarto com segurança”.

Avisamos que ele não podia ficar sozinho porque sofria de depressão, temos todos os laudos. Ele estava em um lugar que não podia ficar acompanhante e disseram que não ia adiantar ficar do lado de fora, que era pra gente ir para casa, 
contou a jovem.

Na ação, o advogado da mãe do paciente aponta: "Ressalta-se que José Jorge já foi por diversas vezes ao mesmo hospital com registro de problemas psicológicos e de depressão fato esse também alertado por sua mãe no momento da sua internação".

A jovem contou que no dia seguinte, o hospital entrou em contato com a família pedindo para ir à unidade e avisou que o paciente teria quebrado uma grade de segurança da janela e se jogado do quarto andar, mesmo com cinco seguranças tentando segurá-lo.

Os advogados explicam que: "Ficou claro que o paciente não obteve o adequado e urgente cuidado. Pior que isso, sequer foram tomadas precauções para que o fático desiderato acontecesse. Por esse lado constatou-se clara e intolerante negligência do Hospital Ré justificando, desse modo, a promoção da demanda judicial".

A sobrinha de José Jorge afirmou que a família tentou várias vezes contato com o Hospital São Rafael, mas nunca foi recebida. "A gente tentou entrar em contato pedindo, por favor, que ajudasse a gente, que não tinha como fazer o enterro. Eles nem ligaram pra gente, como se a gente não fosse nada, deixaram a gente a ver navios mesmo (...) ninguém fala com pobre". A jovem contou que para enterrar o tio precisaram pedir ajuda para os vizinhos, já que a família não tinha como arcar com a despesa e o Hospital São Rafael não deu nenhum auxílio.

Procurado pelo site BNews, de Salvador o Hospital São Rafael afirmou que "permanece à disposição da família para qualquer esclarecimento adicional e não se manifesta acerca de ações em andamento".


Crédito da foto :: Divulgação


Post Bottom Ad

VivaABahia