Mata de São João: após prometer cachê de R$170 a baianas, secretário é alvo de críticas ao reduzir pagamento para R$50 - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

13 de março de 2019

Mata de São João: após prometer cachê de R$170 a baianas, secretário é alvo de críticas ao reduzir pagamento para R$50

Crédito da foto :: Reprodução/Mais Região




A Câmara Municipal de Mata de São João aprovou nesta terça-feira (12) o requerimento para que o secretário de Cultura e Turismo do município, Alexandre Rossi, venha à Casa se explicar sobre um suposto evento fantasma, o “Estica Verão Imbassaí” de 2018. O requerimento foi protocolado em maio do ano passado pelo vereador oposicionista Tiago de Zezo (PT), mas não foi aceito à época pelo presidente da Câmara, Agnaldo de Lulu (DEM). 

Eles fizeram dois contratos de pagamento para o mês de fevereiro sobre o evento chamado ‘Estica Verão Imbassaí’ que, segundo eles, foi realizado em fevereiro. O que chamou a atenção da gente foi o número de toldos que não comporta em Imbassa: 50 toldos por R$ 50 mil. Outro processo foi contratação das bandas, locação e locutor por R$ 13,6 mil. Existe uma desproporção, se você observar, 
afirmou o petista no ano passado. A data da convocação será definida pelo presidente da Câmara.

Também à época, o prefeito Marcelo Oliveira (PSDB) afirmou que houve um erro formal de licitação e as despesas se referiram à Festa do Bonfim.

Toda essa confusão é decorrente de um erro formal que ocorreu no processo de licitação para fazer a estrutura da festa. O importante já foi colocado na rádio e a população já sabe que as despesas foram para a Festa do Bonfim, pois só existem duas festas desse porte no município: Festa do Bonfim e São João, 
disse em entrevista à rádio Laser FM.

Em entrevista ao portal BNews, de Salvador, nesta quarta-feira (13), o vereador Tiago de Zezo reiterou as críticas e comentou outra polêmica envolvendo o secretário: a prefeitura contratou, para a Festa do Bonfim deste ano, entre 200 e 300 baianas, com a promessa de pagar a cada uma o cachê de R$ 170. Porém, Alexandre Rossi teria feito um acordo para reduzir o valor para R$ 50, que ainda não teria sido repassado às baianas. 

Nesta terça-feira (12), o também vereador da oposição Sérgio Bogoio (PSD) prometeu acionar o Ministério Público contra o secretário. "Vamos fazer outra queixa-crime, também no Ministério Público. Ele [Alexandre Rossi] subtraiu R$ 120 das baianas e temos documentos para comprovar. Isso é uma vergonha para o nosso município", disse. 

Segundo o mesmo portal, entrou em contato com a prefeitura de Mata de São João, que não se posicionou até o horário desta publicação.



As informações são do BNews
Você e mais 133 mil pessoas estão recebendo esta matéria por sistema de Whatsapp. Se não quiser continuar recebendo mande solicitação de retirada do seu nome da listagem.

Biblioteca