Na pressão: sem ganhar há um mês, Vitória enfrenta Botafogo-PB - Observador Independente

Na pressão: sem ganhar há um mês, Vitória enfrenta Botafogo-PB

Compartilhar
Leão teve semana livre para treinar na Toca (Maurícia da Matta / EC Vitória)


Correio24Horas


Após o Carnaval, o Leão volta à realidade: não vence há cinco jogos.


O Carnaval veio em boa hora para o Vitória: trouxe uma semana de paz, especialmente para o técnico Marcelo Chamusca. Por conta da folia, boa parte da torcida esqueceu de que o rubro-negro perdeu de virada para o Atlético de Alagoinhas, por 2x1, em casa, na quarta-feira (27).

Só que o Carnaval já ficou para trás, certo? E a realidade volta com tudo na cabeça do Vitória: são cinco jogos sem ganhar, com duas derrotas nesta sequência. O Leão não vence há um mês: a última foi sobre o Jequié, no dia 6 de fevereiro, por 4x0.

A pressão sobre Chamusca, portanto, é gigante. E o técnico precisa vencer o Botafogo-PB, nesta quinta-feira (7), às 21h30, no Barradão, pela quinta rodada da Copa do Nordeste, para aguentar uma parte dela. Caso contrário, pode chegar ao Ba-Vi no domingo (10), pelo Baianão, em situação ainda pior.

Só que o adversário desta quinta-feira não é, nem de perto, o ideal para um time que está pressionado. O Botafogo-PB ainda não perdeu nesta Copa do Nordeste. Venceu Fortaleza e Sergipe e empatou com Santa Cruz e Salgueiro.

O time paraibano vive boa fase também na Copa do Brasil: se classificou para a terceira fase ao eliminar o Operário-MS e o Tombense-MG.

Fase bem diferente do Vitória, que ainda não venceu no Nordestão – são quatro empates – e foi eliminado na primeira fase da Copa do Brasil para o Moto Club-MA.

Teve tempo

Para obter uma reação, Chamusca contou com a semana livre de treinamentos que teve desde a derrota para o Atlético. Nesse meio-tempo, o técnico teve o retorno do lateral-direito Jeferson, recuperado de lesão.

O meia Ruy, porém, segue lesionado e desfalcará a equipe pelo segundo jogo seguido. Ele também não enfrentou o Atlético. Além disso, os reforços como o atacante Felipe Garcia e o lateral-esquerdo Fabrício não foram regularizados pelo clube.

Sendo assim, o técnico deve repetir o time que enfrentou o Carcará, com Andrigo no meio-campo, Léo Ceará e Neto Baiano no ataque.

Post Bottom Ad

Apostilas Opção