Pablo mora no CT para 'respirar o São Paulo' e evidencia obsessão por títulos - Observador Independente

Pablo mora no CT para 'respirar o São Paulo' e evidencia obsessão por títulos

Compartilhar
Pablo durante treino no CT da Barra Funda nesta semana - FOTO: Rubens Chiri/saopaulofc.net


Em entrevista ao LANCE!, atacante do Tricolor fala sobre a decisão de morar no clube nesses primeiros meses do ano, do misto de sensações neste início de trajetória e do apego à família.


Fellipe Lucena


Pablo recebeu o LANCE! em sua casa na tarde da última quarta-feira e falou sobre seus primeiros meses no São Paulo por cerca de 20 minutos enquanto olhava para os gramados do CT da Barra Funda, já vazios após um longo treino comandado por Vagner Mancini. 

Neste curto período, o reforço mais caro do clube em 2019 pronunciou a palavra "campeão" dez vezes, evidenciando uma obsessão que é dele e certamente de todos os são-paulinos que estarão no Pacaembu às 21h deste sábado para o jogo contra a Ferroviária.

É possível que você esteja achando que o repórter se enganou ao escrever que o atacante de 26 anos estava em casa e no CT da Barra Funda ao mesmo tempo, mas não. Pablo realmente mora no trabalho, e decidiu fazer isso para apressar a adaptação.

Eu fico muito tempo dentro do CT, muito mesmo. Eu respiro o São Paulo. Fico vendo como funciona o dia a dia, já conheço todo mundo que trabalha aqui e estou feliz pelo fato de o São Paulo ter aberto as portas para eu ficar aqui dentro, sei que não é fácil manter um jogador dentro do CT. O Raí (diretor) e o Alexandre (Pássaro, gerente) me deixaram muito confortável para que eu me adapte o quanto antes,

disse o artilheiro do Tricolor na temporada, com quatro gols.

A rotina de Pablo até que é monótona. Ele mata o tempo com a série "Vikings", com as músicas do sertanejo Gusttavo Lima ou com o videogame, mas os dias têm sido intensos. Em cerca de três meses, o paranaense de Cambé já viveu alegrias como a de marcar gol no clássico contra o Corinthians e decepções como a da queda na fase preliminar da Libertadores. 

Embora tenha sido poupado pelos torcedores, já presenciou diversos protestos. Isso sem falar na vida pessoal: o filho Enrico nasceu no dia 6 de fevereiro, quando o jogador estava na Argentina para o primeiro jogo contra o Talleres (ARG).

Post Bottom Ad

VivaABahia