Um mês suspenso: como foi o período sem jogos e polêmico de Deyverson - Observador Independente

Um mês suspenso: como foi o período sem jogos e polêmico de Deyverson

Compartilhar
Deyverson colecionou episódios polêmicos mesmo sem entrar em campo em um mês. (Agência Palmeiras/Divulgação)Foto: Lance!



Centroavante foi expulso por ter cuspido em Richard, do Corinthians, em Dérbi ocorrido há exatas quatro semanas, e não faltaram episódios polêmicos mesmo sem entrar em campo.



William Correia



Deyverson completa neste sábado um mês da última vez em que entrou em campo. Depois de 2 de fevereiro, quando foi expulso por ter cuspido em Richard, do Corinthians, na derrota do Palmeiras por 1 a 0, no Allianz Parque, o atacante passou a cumprir suspensão de seis jogos no Campeonato Paulista, imposta pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP). Ainda assim, não conseguiu ficar longe de polêmicas nas últimas quatro semanas.

Foram dois pedidos públicos de desculpa, multa similar ao seu salário, broncas em entrevista coletiva do técnico Luiz Felipe Scolari, definição de suspensão e uma quase ida ao futebol chinês que teve até um inoportuno vídeo de despedida "de brincadeira". Agora, mesmo com dois jogos ainda a cumprir no Estadual, o camisa 16 vive a oportunidade de, enfim, voltar a ficar à disposição, na quarta-feira, contra o Junior Barranquilla, na Colômbia, pela Libertadores.

Deyverson entrou no lugar de Borja aos 14 minutos do segundo tempo. Aos 42, recebeu cartão vermelho por cuspir em Richard. Logo após o jogo, Felipão reprovou o ato, que poderia suspender o atacante por até 12 partidas no Campeonato Paulista. Ainda no dia da derrota no Dérbi, o camisa 16 usou seu Instagram, sem pedir comentários, para pedir desculpas.

- Estou aqui para pedir desculpas pelo acontecimento de hoje a tarde. Infelizmente, depois de sofrer uma entrada dura, acabei perdendo a cabeça e cometi um erro. Peço desculpas ao Richard, jogador do Corinthians, aos meus companheiros, comissão técnica, aos torcedores do Palmeiras e a todos que estavam assistindo ao jogo. Sei que, dentro de campo, sou exemplo para muitas pessoas e estou muito triste e arrependido pelo que aconteceu. Não acontecerá novamente e vou continuar trabalhando muito para voltar a dar alegrias para a torcida do Palmeiras - escreveu o centroavante.

4 de fevereiro

No segundo dia de folga do elenco, Deyverson foi informado de que teria uma reunião com o diretor de futebol Alexandre Mattos antes do treino de reapresentação, no dia seguinte. Para aumentar a pressão, Ricardo Goulart teve sua documentação regularizada, sendo mais uma opção como centroavante dentro do elenco, mesmo que improvisado no setor.

5 de fevereiro

O Palmeiras aplicou uma multa de R$ 350 mil. O alto valor, similar ao do salário do jogador, está estipulado dentro do regulamento interno disciplinar do clube. A decisão foi informada ao camisa 16 por Mattos, que ainda o cobrou em reunião realizada antes do treinamento na Academia de Futebol.

6 de fevereiro

Deyverson é denunciado no artigo que fala especificamente do ato, o 254-B do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. A punição prevista é de seis a 12 partidas, o que comprometeria a atuação do jogador até uma eventual segunda final do Paulista, se pegasse a pior pena.

8 de fevereiro

Deyverson volta a fazer uma publicação em seu Instagram, mas somente com uma postagem de luto e o símbolo do Flamengo, por conta da tragédia no centro de treinamento do clube carioca que gerou a morte de dez jogadores das categorias de base do Rubro-Negro. O atacante escreveu apenas "Meus sentimentos", ainda com comentários desabilitados.

11 de fevereiro

O TJD-SP suspendeu Deyverson por seis jogos, pena mínima prevista a quem cospe em um adversário. Ele já cumpriria suspensão automática contra o Bragantino, na noite do mesmo dia 11, no Pacaembu, e esteve no tribunal para se defender. O atacante terá condição de atuar na última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta, em 20 de março.

Post Bottom Ad

VivaABahia