Goleiro da Juazeirense é alvo de suposto caso de injúria racial - Observador Independente

Goleiro da Juazeirense é alvo de suposto caso de injúria racial

Compartilhar

André Loureiro de Lima, árbitro da partida, afirmou que não presenciou o ato criminoso.

O goleiro Dejair, da Juazeirense, relatou que foi alvo de um suposto ato de injúria racial durante a derrota para o Aparecidense por 2 a 1 na tarde do último sábado (18), no Anibal Toledo, em Aparecida de Goiânia, Goiás, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série D.

Dejair teria sido chamado de macaco por um torcedor do Aparecidense que encontrava-se atrás do banco de reservas. Na sequência, o goleiro, que se dirigiu ao alambrado para confrontar o autor da injúria racial, acabou expulso.
Em súmula, o árbitro Silvio André Loureiro de Lima relatou o motivo da expulsão e afirmou que não presenciou o suposto ato criminoso.

Aos 42 minutos do segundo tempo, expulsei com cartão vermelho direto o referido atleta, por sair do banco de reservas de sua equipe e dirigindo-se ao alambrado, o mesmo chutou o alambrado e tentou agredir um torcedor caracterizado com as cores da equipe A.A. Aparecidense. O atleta expulso alegou ter sido xingado pelo torcedor envolvido de macaco. Cumpro informar que o quarteto de arbitragem não presenciou tal fato e, até o fim deste relatório, não foi apresentado a identificação do torcedor envolvido e nem o boletim de ocorrência do atleta da equipe Juazeirense, 

afirmou.

A Juazeirense utilizou as redes sociais, ainda na noite de sábado (19), para lamentar o fato ocorrido e prestar solidariedade ao atleta.

O respeito precisa estar dentro e fora de campo. O goleiro Deijair tem todo nosso apoio e solidariedade. O jogador foi vítima de mais uma ato de racismo no futebol durante partida contra a Aparecidense na Série D do Brasileirão em Goiás Se já não bastasse sofrer com um dos piores sentimentos existentes no ser humano, o goleiro chegou a ser expulso do confronto.
Foto: reprodução/Juazeirense

Post Bottom Ad

Apostilas Opção