Rodrigo Maia também aparece em delação do dono da Gol. PT ironiza Maia e Bolsonaro - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

14 de maio de 2019

Rodrigo Maia também aparece em delação do dono da Gol. PT ironiza Maia e Bolsonaro


O presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), também aparece na delação premiada de Henrique Constantino, dono da Gol. A informação é do site O Antagonista.

Segundo a publicação, a informação está no anexo 7 do acordo de colaboração premiada. O empresário disse ter pago propina ao político por meio da Abear (Associação Brasileira de Empresas Aéreas).

Além de Maia, também são citados como beneficiários Romero Jucá, Vicente Cândido, Ciro Nogueira, além de Marco Maia, Edinho Araújo, Otávio Leite, Bruno Araújo e outros.

Mais delação

O empresário Henrique Constantino assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. Ele admitiu pagamentos de propina em troca da liberação de financiamentos da Caixa Econômica Federal para suas empresas. 

Segundo O Globo, a delação foi homologada pelo juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, e traz acusações contra políticos do MDB, como o ex-presidente Michel Temer, o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o deputado cassado Eduardo Cunha.

A delação foi assinada em 25 de fevereiro deste ano com a força-tarefa Greenfield e é mantida sob sigilo. Ainda conforme o O Globo, o empresário relatou relacionamento com esses políticos do MDB e contou ter participado de uma reunião com o então vice-presidente da República Michel Temer, em 2012, na qual houve a solicitação de R$ 10 milhões em troca da atuação dos emedebistas em favor dos financiamentos pleiteados pelo seu grupo empresarial na Caixa.

Irionia

Com ironia costumeira o deputado Afonso Florence, da Bahia, falou sobre a delação do dono da Gol,

Com certeza mexe no tabuleiro político porque pega o MDB, que é importante apoio de sustentação do governo e pega o presidente da Câmara [...] é mais uma variável nervosa na conjuntura, diga-se de passagem, no mesmo dia em que é tornado público que a Justiça autoriza a quebra de sigilo [fiscal e bancário] do filho do presidente [senador Flávio Bolsonaro] e do seu assessor [Fabrício] Queiroz, 
disse. 

Segundo ele, as condições de aprovar a reforma da Previdência vão se esgotando, 

seja pelo governo ou pela maioria constituída por Rodrigo Maia.
O governo Bolsonaro não tem número no Congresso para nada, depende de Maia e do Centrão.

 Crédito das fotos :: EBC / Reprodução

Post Top Ad

SCB