Alvos de polêmica nacional, patinetes elétricos deverão ser regulamentados em Salvador - Observador Independente

Alvos de polêmica nacional, patinetes elétricos deverão ser regulamentados em Salvador

Compartilhar

A Câmara Municipal de Salvador vai discutir em breve a regulamentação dos patinetes elétricos em Salvador. O meio de transporte virou alvo de polêmica nacional após virar moda em grandes capitais, como o Rio de Janeiro, onde o número de acidentes tem crescido vertiginosamente.

O Projeto de Lei 177/2019, apresentado pelo presidente da Casa, Geraldo Júnior (SD), estabelece normas específicas para o uso de equipamentos de mobilidade individual e propulsão elétrica. Se aprovado, a circulação de patinete elétrico será permitido somente em áreas de circulação de pedestres (6 km/h), ciclovias (20 km/h) e ciclo faixas. O veículo terá que ter uso do indicador de velocidade e de sinalização noturna e dianteira. O uso do capacete deverá ser obrigatório.

Os veículos também deverão conter os seguintes equipamentos: espelhos retrovisores em ambos os lados; farol dianteiro de cor branca ou amarela; lanterna de cor vermelha na parte traseira; velocímetro; buzina; e pneus que ofereçam condições mínimas de segurança. A idade mínima para conduzir o patinete será de 18 anos.

Condutores não poderão ingerir bebida alcoólica e nem dar carona. Será proibido usar o patinete para corridas, acrobacias ou manobras. Também não será permitido operar o veículo em locais não pavimentados. As multas para o descumprimento das regras variam de R$ 100 a R$ 20 mil, além da possibilidade de apreensão do veículo.

Os patinetes têm se popularizado pelo baixo custo e pelo menor potencial ofensivo ao meio ambiente - além da praticidade de manuseio. No Rio de Janeiro, no entanto, o alto índice de acidentes têm chamado a atenção. Já em São Paulo, menores de idade têm usado os veículos para cometer roubos.

Crédito da foto :: Divulgação

Post Bottom Ad

VivaABahia