Orla de Salvador é tomada por manifestantes em ato pró-Sérgio Moro; Povo questiona porque deputada Dayane Pimental (PSL) ficou contra manifestação - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

30 de junho de 2019

Orla de Salvador é tomada por manifestantes em ato pró-Sérgio Moro; Povo questiona porque deputada Dayane Pimental (PSL) ficou contra manifestação


A orla do Barra foi tomada por milhares de manifestantes que foram às ruas em defesa do ministro Sérgio Moro e da Operação Lava Jato. O ato, convocado nacionalmente pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e por outros movimentos, começou às 9h da manhã deste domingo (30), no Farol da Barra e seguiu até o Morro do Cristo.

Munidos de faixas e cartazes, os ativistas defenderam ainda o Pacote Anticrime, a Reforma da Previdência, o Decreto de Armas e a CPI da Lava Toga. O presidente Jair Bolsonaro (PSL) também foi mencionado positivamente durante todo o percurso nos discursos utilizados no minitrio - que desfilou no local após liminar da Justiça, e autorização posterior da prefeitura.
A pauta nacional, no entanto, dividiu protagonismo com as polêmicas locais. Os militantes teceram duras críticas contra a Prefeitura de Salvador. As críticas se concentraram na Secretaria Municipal de Trabalho, Esporte e Lazer (Semtel), comandada por Alberto Pimentel. A mulher do gestor, Deputada Dayane Pimentel, presidente do PSL baiano, também foi alvo dos ataques.
Nós somos da Direita Independente Bahia e o trio iria ser embargado. Estavam querendo boicotar o nosso trio. Graças aos guerreiros desses movimentos, em especial Antonio Braga e o pessoal do MBL, peitaram e conseguiram. Cada um de vocês aqui são importantes", bradou um dos ativistas. "Salvador é do povo. Alberto Pimentel, vá para Feira de Santana, seu lugar não é aqui, 
completou.

O vereador Cezar Leite (PSDB) foi um dos poucos políticos presentes. Em entrevista ao site BNews,  de Salvador, ele defende que o secretário deve explicar aos eleitores do presidente Jair Bolsonaro, aos fãs do ministro da Justiça Sergio Moro e aos apoiadores da operação Lava Jato, o motivo de ter supostamente tentado impedir a manifestação em apoio ao ex-juiz.
O eleitor de direita é crítico e não aceita focinheira, 
opinou. 

O vereador acredita que Pimentel não pode “ficar sob a sombra de Jair Bolsonaro”. Ele completou dizendo que o presidente não compactua com pessoas que não honram a constituição e as leis, e que é necessário que chegue ao seu conhecimento o comportamento da diretoria do PSL baiano. 

Segundo os ativistas, cerca de 10 mil pessoas marcaram presença no evento. A Polícia Militar não divulgou o número de participantes. Também marcaram presença no movimento o MPB - Médicos Pelo Brasil, MPB - Movimentos Patriotas do Brasil, Militância Direita Bahia, Nas Ruas - BA e RWR - Republicana Web Rádio.

Entenda o caso

Na última sexta-feira (28), o site BNews noticiou que a prefeitura, por meio da Semtel, havia embargado o uso do trio do MBL durante manifestação a favor do governo Bolsonaro e do ministro da Justiça, Sergio Moro, marcada para este domingo.

Após a publicação, comprovada por documentos e entrevistas, Alberto e Dayane Pimentel desferiram ataques contra o site por meio de publicações nas redes sociais. Desde então, vereadores, deputados e líderes políticos têm se posicionado contra a postura do PSL, e a favor da imprensa.

Crédito das fotos :: BNews/Vagner Souza

Você e mais 133 mil pessoas estão recebendo esta matéria por sistema de Whatsapp. Se não quiser continuar recebendo mande solicitação de retirada do seu nome da listagem.

Biblioteca