Diretor rompe contrato com Hospital Casa de Saúde Santana - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

4 de julho de 2019

Diretor rompe contrato com Hospital Casa de Saúde Santana


Segundo Germano Correia, houve muitas dificuldades na administração.


Depois de 42 meses, Dr. Germano Correia rompeu o contrato de arrendamento com o Hospital Casa de Saúde Santana. O contrato tinha duração de 20 anos. Ao Acorda Cidade, Germano Correia explicou que ao longo dos 42 meses em que ficou a frente da unidade de saúde teve dificuldades, pois o hospital presta serviços na área do Sistema Único de Saúde (SUS), com recursos baixos. Além disso, segundo ele, houve muitas dificuldades na administração.

“A tabela do SUS tem mais de 20 anos sem ser reajustada e de lá para cá muita coisa da situação econômica variou e os custos hospitalares são muito elevados, mas isso eu já sabia. O principal problema foram as dificuldades na administração. Quando eu arrendei, houve um compromisso em contrato, e sob pena de quebrar essa cláusula gerar multa e era obrigado me passar uma procuração, dando plenos poderes, para a parte administrativa para que eu pudesse resolver junto a Receita Federal, junto aos bancos. Com dois, três meses fui surpreendido com a recisão unilateral deste contrato. De lá pra cá tenho várias dificuldades”, afirmou.

Dentre as dificuldades encontradas, Germano cita dificuldade de pagamento, já que, segundo ele, não conseguiu pegar talões de cheque e tinha que fazer todos os pagamentos em dinheiro, a vista. Ainda assim ele garante que o hospital não tem nenhum débito, mas que ficou inviável continuar na administração da Casa de Saúde Santana.

“Não consigo passar um cheque do hospital, pois não tenho. Não consigo pagar os funcionários pelo banco, colocar a folha de pagamento pela internet, pois não tenho essa autorização, então tenho tido diversas dificuldades para gerir o hospital e isso foi motivo de ação jurídica, que já tem dois anos e estamos aguardando a resolução. Agora, mais recente, o dinheiro que está sendo depositado referente a nossa produção, está demorando de ser liberado pelos locadores. Quando liberam, eles dão um cheque nominal com um valor grande e como é que vou depositar na minha conta? Vou ter que emitir outra nota fiscal com 30 mil reais de imposto? Acabou gerando problemas e por isso resolvemos entregar o hospital aos proprietários”, relatou.

Germano Correia informou que investiu aproximadamente três milhões de reais, tanto na parte física, como em pagamento de débitos. Ele informou que somente de IPTU foram pagos cerca de 15 anos que estavam em atraso, assim como impostos federais, FGTS e previdência social de funcionários que não eram recolhidos.

“Tive que arcar com todas essas despesas e hoje o hospital tem todas as certidões e eu tenho que manter os impostos atualizados todo mês para que eu tenha as certidões devidas. Hoje tenho todas elas e estou reivindicando todos os investimentos que fiz, que era para ser diluído ao longo dos 20 anos de contrato. Agora vou pleitear juridicamente ou através de uma ação amistosa, esses meus recursos que foram colocados dentro do hospital”, afirmou.

Germano informou que passou a administração do hospital para o Dr. Divaldo Cerqueira, através de um documento explicando as razões, de forma oficial, e disse acreditar que de imediato, ele já deva assumir.
“Me prontifiquei a fazer todo o processo de transição, a mostrar todas as contas, a revelar pagamentos de todos os impostos, deixar tudo esclarecido para que depois não gere problemas. Procurei pagar todas as minhas contas e estou entregando numa situação confortável. Ainda há os financiamentos, que eles vão ter que continuar pagando. Minha administração vai deixar a situação ok. Agora o sentimento é de ter realizado uma boa administração, ajustei as contas, os funcionários e não há um espaço dentro do hospital que eu não tenha feito uma reforma ”, destacou.

Com informações do e foto repórter Paulo José 
Você e mais 133 mil pessoas estão recebendo esta matéria por sistema de Whatsapp. Se não quiser continuar recebendo mande solicitação de retirada do seu nome da listagem.

Biblioteca