Ex-advogado de Najila responde a Neymar pai, e juiz arquiva caso - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

12 de julho de 2019

Ex-advogado de Najila responde a Neymar pai, e juiz arquiva caso

José Edgard da Cunha Bueno Filho, primeiro advogado de Najila Trindade na acusação de estupro e agressão contra Neymar, e seus sócios num escritório de advocacia responderam à interpelação do pai do jogador na Justiça. Treze perguntas sobre a participação deles no episódio, incluindo questões sobre o relacionamento de Bueno com Mauro Naves, tinham sido feitas como parte de uma medida para eventuais ação penal e/ou indenizatória sob a acusação de difamação contra os advogados.

Na quinta (11/7), o juiz Ulisses Augusto Pascolati Júnior determinou o arquivamento dos autos após o autor tomar ciência, considerando prestadas as explicações pedidas por Neymar da Silva Santos na notificação. Nesses casos, é comum o caso ser arquivado depois de os interpelados responderem. Agora, cabe ao pai do jogador decidir se entrará com ação por difamação contra os advogados ou não.

Davi Tangerino, um dos advogados de Neymar pai, disse ao blog que está de férias, não sabe do andamento do caso e por isso só poderá se manifestar quando retornar ao trabalho. Por meio de sua assessoria de imprensa, Bueno afirmou que não comentaria o assunto.

Bueno é acusado de tentar extorquir o Neymar mais velho para que Najila não apresentasse queixa contra seu filho. Ao negar essa acusação, o advogado escreveu em carta obtida pelo UOL Esporte que foi vítima de uma armadilha ao se reunir com representantes do jogador para tentar um acordo. Essa e outras declarações motivaram o pedido de explicações na Justiça.

Na resposta à interpelação, sem responder à cada indagação pontualmente, Bueno e seus sócios afirmaram que suas declarações só foram dadas para esclarecer a opinião pública sobre o encontro com representantes de Neymar diante do que chamam de ataque a suas honras, numa referência à acusação de extorsão. Ao mesmo tempo, afirmam que jamais tiveram a intenção de atingir a honra do pai do jogador.

Eles sustentam que a reunião, ocorrida num apartamento de Neymar pai em São Paulo, "teve por objetivo buscar, na via extrajudicial, acordo na esfera cível, acerca dos danos causados, segundo a narrativa" de Najila. Também alegam que queriam evitar eventual ação penal pública na França, onde teriam ocorrido o estupro e as agressões. Neymar nega ter cometido os crimes.

Na resposta, os ex-representantes da modelo também afirmam considerar judicialmente descabido o pedido de explicações feito por Neymar pai. Isso por inexistirem, segundo eles, frases ambíguas ou dúbias que ofendam a honra de Neymar pai e que demandariam esclarecimentos. "Não obstante o presente pedido de explicações pareça prestar-se somente para tentar constranger os interpelados com descabida distribuição de natureza criminal, esses são os esclarecimentos que cumpria aos interpelados responder", diz o fim da resposta.


Crédito da Foto: Divulgação

Post Top Ad

SCB