Na permuta, populares realizam festas de aniversário sem gastar nenhum centavo em Salvador - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

4 de julho de 2019

Na permuta, populares realizam festas de aniversário sem gastar nenhum centavo em Salvador


Em tempos em que a economia do país não vai tão bem, este modelo é uma opção para não deixar de realizar um evento.


As permutas entre pessoas famosas são bastante comuns. Celebridades oferecem serviços e produtos gratuitamente em troca da divulgação que a marca terá. Entretanto, soteropolitanas não famosas também estão aderindo ao modelo e conseguem realizar festas inteiras sem gastar nenhum centavo, apenas trocando serviços.

Um exemplo recente foi o casamento do humorista Carlinhos Maia com o modelo Lucas Guimarães. O humorista revelou que tudo em seu casamento foi na base da permuta. Inclusive na lua de mel ele também não teve gastos e deu o dinheiro que gastaria à um motorista que encontrou na rua com um carro velho.

Em épocas de crise, em que a economia do país não vai tão bem, este modelo é uma opção para não deixar de realizar um evento. A autônoma Priscila Ribeiro, 30, entrou no sistema de permuta há cerca de 6 meses e já realizou festas inteiras trocando serviços: “O aniversário da minha filha foi todo na base da permuta”. Ela trabalha com festas e conheceu o sistema após indicações de amigas.

Há grupos nas redes sociais onde é possível encontrar pessoas disponíveis a realizar permuta. A decoradora Naomi Luana, 29, mora em Paripe e administra um destes grupos. Ela explica como funcionam as trocas: “Eu digo a data, coloco o que preciso e o que ofereço. Por exemplo, eu vou fazer uma festa. Mesmo trabalhando com decoração, as vezes preciso de salgados e não tenho como conseguir até a data do evento. Aí a gente troca”, conta ela que detalha ainda outras trocas comuns nos grupos: “Às vezes tem pra celular, prancha, escova, unha em gel”.
Foto: Arquivo Pessoal / Naomi Luana

A salgadeira Andréia Silva, 24, mora na Fazenda Grande do Retiro, tem dois anos de permutas e só em junho foram cerca de 20. E não são apenas serviços de festas que são trocados. Enquanto conversava com o VN, ela estava fazendo a unha: “Vou pagar com salgados pro aniversário do filho dela”. Mas apesar dos benefícios, o sistema requer muitos cuidados.

Modelo requer atenção

“Já tive problemas. Tem pessoas que não cumprem com a palavra. A gente entrega o material, mas quando chega no nosso evento elas nos deixam em falta, não enviam o que prometeram. O mais certo é fazer com quem já tem costume, com quem temos confiança”, sugere Andressa. Já Priscila revela que teve problemas no aniversário da filha:

“Nem todo mundo tem a mesma responsabilidade que eu. No aniversário da minha filha o bolo que entregaram não foi o que pedi, a animadora mandou outra pessoa, que não trabalhou direito. Então a festa foi quase tudo perfeito”.

Apesar de já ter enfrentado problemas com permutas, ela recomenda e dá dicas: “Antes de fechar a permuta tem que pedir indicações. Chegar às cegas pra fazer não dá certo por que tem muita gente mau caráter”, explicou. Moradora de Plataforma, Daiane Ferreira, 21, conheceu o sistema menos de um mês e já planeja sua primeira permuta: “Ainda não fiz nenhuma, mas vejo várias pessoas fazendo e dá certo. Estou planejando fazer algumas, mas ainda estou me organizando”.

Fotos: Arquivo Pessoal / Naomi Luana

Biblioteca