Baleia que morreu após encalhar no Subúrbio de Salvador começa a ser retirada - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Audima

30 de agosto de 2019

Baleia que morreu após encalhar no Subúrbio de Salvador começa a ser retirada


A TARDE

Uma baleia foi encontrada encalhada na noite desta quinta-feira, 29, na praia de Coutos, localizada no Subúrbio Ferroviário, próximo à Maternidade João Batista Caribé e começou a ser retirada na manhã desta sexta-feira, 30, pela Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb). De acordo com a empresa, 22 agentes da equipe de operações especiais em uma ação em conjunto com o Instituto Baleia Jubarte.

Os agentes utilizaram facas de açougue para retalhar a carcaça e poder fazer o transporte até o caminhão, que levará ao Aterro Metroplitano. Na operação, estão sendo utilizados três caminhões e uma caixa coletora de 5m³.

Ainda de acordo com a Limpurb, a previsão é de que o serviço siga até às 15h, quando a maré começa a subir e inviabiliza o serviço. A ação será retomada neste sábado, a partir das 7h30, com equipe composta por 44 agentes. A operação continua até finalizar a retirada completa e a previsão é de que dure de dois a três dias, a depender da maré.

De acordo com o Projeto Baleia Jubarte, uma equipe esteve no local para averiguar a situação e realizar o procedimento. Este é o período conhecido como temporada de reprodução das baleiais e segundo o instituto, aproximadamente 20 mil baleias migram para reproduzir no Brasil.

A bióloga Luena Fernandes, do Projeto Baleia Jubarte, aponta que ainda não há definição do sexo do animal. "Como ela está em uma posição ventral, com a barriga para baixo, não conseguimos inspecionar os órgãos sexuais para ter certeza se é fêmea ou macho", explica.

A bióloga conta que é uma baleia jubarte, com 14 metros e 60 centímetros e estima-se que ela pese 39 toneladas. Segundo Luena, como este é um período de reprodução, é comum que elas surjam na Bahia. 
Elas estão presentes na costa brasileira de julho a outubro para se produzir. A Baía-de-Todos-os-Santos é um local histórico de passagem dessas baleias, embora seja raro encontrá-las aqui dentro da baía. Mas para encontrar esse animal aqui é possível que ele já esteja debilitado, com complicações de saúde,
conta.

A causa da morte ainda não foi divulgada, mas, só neste ano 38 baleias ficaram encalhadas na costa brasileira, sendo que desse número 10 foram na Bahia.

Luena também aponta que nessas situações é importante que a população entre em contato com o Projeto Baleia Jubarte, para que uma equipes seja deslocada para serviços. "É importante para estudarmos para entender porque elas encalham e quais as ameaças que elas estão enfrentando no habitat natural. Alertamos à população que não se aproximem do animal quando localizá-lo na praia", explica.

A bióloga conta também que aproximar do animal pode ser considerado um risco para saúde, além de ser um animal muito grande e pesado que involuntariamente pode ferir as pessoas, incluindo o risco de contaminação, visto que eles podem transmitir doenças. 

O projeto também está averiguando uma outra situação ocorrida na Ribeira. Uma baleia juvenil, que estava na região há três dias, e morreu na noite desta quinta.



Foto: Joá Souza | Ag. A TARDE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->