Suspeito de agredir sogra e namorada adolescente, cantor de "rapper" baiano é preso por roubo - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

Post Top Ad

Mário

12 de agosto de 2019

Suspeito de agredir sogra e namorada adolescente, cantor de "rapper" baiano é preso por roubo



Clóvis e outros dois homens roubaram a bolsa de uma mulher após abordá-la em 31 de dezembro de 2012.


O "cantor de rap" Clóvis de Oliveira Santos Júnior, conhecido na cena musical baiana como Dark MC, foi preso por mandado do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) por roubo qualificado, em Salvador. Dark MC é suspeito também de ter agredido a sogra e a namorada.

Clóvis foi detido na quarta-feira (7), na Cidade Baixa, no entanto, o documento foi expedido pelo TJ no mês de abril de deste ano, após a negação de um recurso para responder em liberdade.

Em 2016, ele e outros dois jovens foram condenados pelo roubo, ocorrido em dezembro de 2012. A defesa do rapper entrou com recurso e, em abril deste ano, o recurso foi negado e o mandado de prisão expedido.

No despacho expedido pelo TJ-BA, a determinação também é para a prisão dos dois homens, identificados como Carlito José de Jesus Júnior e Leandro Silva de Jesus.

O crime aconteceu na tarde do dia 31 de dezembro de 2012. O trio estava a bordo de duas bicicletas, sendo Clóvis um carona, quando abordou e ameaçou uma mulher na Rua Régis Pacheco, no bairro do Uruguai. Eles roubaram a bolsa da vítima.

Com base em informações de um documento do caso, Clóvis era menor de idade na época do crime. Não há detalhes, no entanto, de quantos anos ele tinha.

Ainda no documento do TJ-BA, a determinação é para que se inicie o cumprimento das penas impostas, que foi de cinco anos e quatro meses de reclusão, além de multa de um trigésimo do salário-mínimo vigente na época do crime.

Violência doméstica

Clóvis também é suspeito de agredir a sogra e a namorada, que na época era uma adolescente de 17 anos, no bairro de Santa Mônica, em Salvador. Esse caso aconteceu na madrugada do dia 29 de agosto de 2018.

O caso chegou a ser registrado na Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Criança e o Adolescente (Dercca) e na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam) de Brotas.



Foto: Reprodução/Redes Sociais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

Post Top Ad

SCB