Bandidos roubam milhares de reais da Festa do Morro após sequestrarem religioso em Recife - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

10 de dezembro de 2019

Bandidos roubam milhares de reais da Festa do Morro após sequestrarem religioso em Recife



Seminarista iria realizar o depósito do dinheiro quando foi abordado pelos assaltantes.




Parte do dinheiro ofertado por fiéis na Festa do Morro deste ano foi levada por assaltantes no final da manhã de ontem. Dois homens armados abordaram um frater (jovem seminarista consagrado a uma congregação religiosa que se prepara para ser sacerdote) e uma voluntária e roubaram R$ 45 mil arrecadados durante a festividade realizada pelo Santuário de Nossa Senhora da Conceição, localizado no bairro do Morro da Conceição, Zona Norte do Recife.

O roubo aconteceu no estacionamento de uma agência bancária na Estrada do Arraial, no bairro vizinho de Casa Amarela. O frater, que atua na Congregação do Santíssimo Redentor, responsável pela administração do santuário, e a voluntária iriam realizar o depósito no banco. A titular da Delegacia de Casa Amarela, para onde a ocorrência foi encaminhada inicialmente, a delegada Lídia Barci, detalhou que, enquanto a voluntária fazia um primeiro depósito dentro do banco, os dois suspeitos abordaram o seminarista, que estava dentro de um veículo pertencente ao santuário.

Inicialmente, havia a informação de que R$ 80 mil teriam sido roubados. Posteriormente, a delegada Lídia Barci e a assessoria da Festa do Morro informaram que entre R$ 40 mil e R$ 45 mil estavam em posse do religioso.


"Eles já sabiam que havia essa quantia em dinheiro. Então fizeram o sequestro relâmpago e levaram ele [o seminarista] até a BR-232, na altura do bairro do Curado [Zona Oeste do Recife]. Eles desceram do carro com o dinheiro e deixaram o religioso seguir com o veículo", disse Lídia Barci. A intenção dos assaltantes, acrescenta a delegada, era apenas o dinheiro, uma vez que o carro não foi levado por eles. O frater ficou entre 40 minutos e uma hora sob a mira dos assaltantes.

Os suspeitos do assalto, segundo Lídia, podem ter recebido informações de pessoas ligadas ao santuário sobre o momento exato em que o depósito iria ser feito. "Estamos trabalhando que a informação saiu lá de dentro, mas não sabemos como e por quem. Estamos fazendo diligências e solicitamos imagens de câmeras de segurança de todo o itinerário feito", acrescentou.

O pároco do santuário, o padre Luís Rodrigues, no entanto, não acredita nessa possibilidade. “A festa acontece uma vez no ano e todo mundo acha que estamos cheios de dinheiro nessa época. A gente não tem essa informação. Está na linha da especulação”, disse. O padre lamentou o ocorrido em entrevista coletiva de imprensa. “Lamentável o que aconteceu depois de uma festa de Nossa Senhora tão bonita e envolvendo tantas pessoas. Dá certa frustração, sim. Mas, por outro lado, damos graças a Deus porque a vida foi preservada”, disse.

O frater foi levado à Delegacia de Casa Amarela para prestar depoimentos e, segundo o padre Luís, passa bem. “Passou o susto e o seminarista está tranquilo. Ele foi obrigado a ficar agachado no banco de trás do carro e ficou o tempo todo com a cabeça abaixada”, continuou o padre, acrescentando que o frater foi orientado a ficar parado com o veículo até os suspeitos fugirem, nas margens da BR-232. “Ele recebeu a instrução de que depois de dois minutos poderia retomar o veículo e foi o que ele fez”.

Apesar da grande quantia de dinheiro, o padre Luís acredita que não havia necessidade de uma escolta no transporte do santuário até o banco. “A quantia não justifica o uso de um carro-forte”, afirmou. O dinheiro arrecadado nas missas e com a venda de produtos religiosos na Festa do Morro, assim como durante todo o ano, é investido na própria comunidade. “O dinheiro não é da Igreja, é de todo mundo. Nós administramos no sentido de melhoria do espaço, as obras sociais da paróquia e doações para a comunidade”, finalizou o pároco.

Rondas policiais foram feitas após o roubo, mas, até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso e a quantia não foi recuperada. O caso seguirá sob investigação do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), uma vez que a quantia roubada ultrapassa o total de 40 salários mínimos.

Festa do Morro

A Festa de Nossa Senhora da Conceição celebra a padroeira afetiva do Recife e reúne milhares de fiéis. Este ano, com o tema “Maria, mãe de um povo ferido” e ajuda de pelo menos 600 voluntários, contabilizou 12 dias de missas, shows, novenário e procissões. No último fim de semana da festa, segundo a organização, 450 mil pessoas subiram o morro onde está localizado o santuário.





Foto: Léo Malafaia/Folha de Pernambuco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->