Intervenção robótica para tratamento de câncer de bexiga é realizada no Hospital Santa Isabel, em Salvador - Observador Independente

Acontecendo

Post Top Ad

Bem-vindo. Hoje é

10 de fevereiro de 2020

Intervenção robótica para tratamento de câncer de bexiga é realizada no Hospital Santa Isabel, em Salvador




10.640 novos casos de câncer de bexiga são estimados para esse ano no Brasil, sendo um dos mais comuns no trato urinário e o nono mais incidente em nível mundial. Os dados são do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Dando mais um passo em direção ao tratamento desse tipo de câncer, o Hospital Santa Izabel, da Santa Casa da Bahia, realizou no final de janeiro a sua primeira cistectomia radical robótica.

Coordenado pelo urologista Lucas Batista, o procedimento contou com a participação dos médicos Rafael Tourinho, Eduardo Azevedo, Marcelo Cerqueira e Romeu Magno. A retirada completa da bexiga foi realizada por meio de cirurgia robótica, que consiste numa técnica minimamente invasiva onde com o auxílio do robô se obtém alto detalhamento anatômico, com uma melhor visualização da região a ser tratada e acesso a estruturas que em outras técnicas seria mais difícil, o que confere precisão.

“A citesctomia radical costuma ser realizada por meio de uma incisão no abdômen. De forma robótica, o procedimento é menos invasivo, a visão é aumentada em até dez vezes em 3D e são utilizadas pinças robóticas”, afirma Lucas Batista, médico integrante da equipe do Hospital Santa Izabel. O especialista explica que durante a cirurgia é retirada totalmente a bexiga e construída, com parte do intestino, uma nova estrutura para cumprir o papel da bexiga removida e não comprometer a função renal.

O tempo de recuperação diante de uma cistectomia robótica também costuma ser mais rápido. O primeiro paciente desse procedimento no Santa Izabel, por exemplo, saiu da UTI em 24 horas e recebeu alta hospitalar após 8 dias da cirurgia.

Fique de olho - Homens brancos e de idade avançada têm maior probabilidade de desenvolver câncer de bexiga. Além disso, o tabagismo pode aumentar o risco de alguém ter esse tipo de câncer. O hábito de fumar está associado à doença em 50 a 70% dos casos. Entre os principais sinais e sintomas, estão dor ao urinar e sangue na urina. A prevenção inclui adotar hábitos de vida saudáveis, não fumar, ir ao médico regularmente e realizar exames periódicos.



Foto ::: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->