Agência da Caixa no bairro Itapuã em Salvador tem mais um dia de fila gigantesca; lotéricas também causam aglomeração - Observador Independente

Acontecendo

QRCode

14 de abril de 2020

Agência da Caixa no bairro Itapuã em Salvador tem mais um dia de fila gigantesca; lotéricas também causam aglomeração



Distanciamento social não está sendo cumprido em bancos e lotéricas.


Esta terça-feira (14) foi mais um dia de longas filas em agências bancárias e lotéricas de Salvador. A liberação dos auxílios emergenciais da Prefeitura e do Governo Federal, além dos serviços rotineiros como pagamentos e saques, causaram aglomeração, justamente o que as autoridades buscam evitar para tentar conter a disseminação do novo coronavírus (Covid-19).

Na agência da Caixa Econômica na Avenida Dorival Caymmi, em Itapuã, a quantidade de pessoas na fila chamava atenção de quem passava pelo local. Com tanta gente amontoada, era quase impossível manter a distância recomendada de 1,5m. Marcas no chão indicavam a proximidade a ser respeitada, como manda o decreto da municipal, mas não foi o suficiente. Além disso, poucas pessoas usavam máscara para se proteger. Uma unidade da base móvel da Polícia Militar esta na frente da agência para evitar confusão.

O auxiliar de serviços gerais Lucas Oliveira, de 25 anos, foi até o banco para sacar o FGTS. Ele conta que chegou às 7h e ainda assim pegou a senha de número 173. Às 11h, ainda faltava muito para ser atendido. “Cheguei cedo, mas tá complicado. Já tenho quatro horas debaixo desse Sol”, disse. Ele também reclama do período de funcionamento. “Poderia aumentar o horário de atendimento e voltar ao normal”. Por conta da pandemia, os bancos reduziram em 2h o funcionamento, encerrando as atividades às 14h.

Um dos últimos da fila, o técnico de informática Irlan Horto da Silva, 42, mora em Sussuarana, mas teve que ir até Itapuã para atualizar o cadastro para receber o auxílio emergencial de R$ 600 do Governo Federal. Com a senha 349 ele ainda espera ser atendido hoje.

“Vim pra cá porque é minha agência e o procedimento só pode ser feito aqui. Cheguei a pouco tempo, mas só vou sair depois que for atendido”, afirmou. Funcionários da agência disseram que todos que receberam as senhas serão atendidos. Em média, estão sendo atendidas cerca de 500 pessoas por dia na unidade.

Mesmo com muitos estabelecimentos fechados por determinação da Prefeitura, em São Cristóvão, o movimento também era grande na Avenida Aliomar Baleeiro, a principal do bairro. Bancas de frutas e verduras eram bastante procuradas.

Porém, era na lotérica que ficava a maior quantidade de pessoas. Alguns em busca de resolver pendências, mas outros também afim de fazer uma ‘fézinha’, como o pedreiro Valdilei dos Santos, 48. “Foi rápido, uns 5 minutos e já tô voltando para casa”, conta apressado.

Já o vendedor Wellington Nascimento , 42, foi até a lotérica para pagar a conta de luz. Apesar de nao estar usando máscara , ele garante que vem tomando cuidados para não se contaminar. Ele acha que as pessoas não estão levando a sério o problema.

“O movimento aqui no bairro está grande, ninguém está respeitando. Só vão achar que é sério quando alguém próximo morrer”, deixou o recado.



Foto de capa :::: Lotérica de São Cristóvão / Varela Notícias / Varela Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->