Após caso suspeito de Coronavírus em preso, Complexo de Delegacias passa por desinfecção em Feira de Santana - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

30 de abril de 2020

Após caso suspeito de Coronavírus em preso, Complexo de Delegacias passa por desinfecção em Feira de Santana


O prefeito Colbert Martins informou que um desinfetante potente está sendo utilizado nesse trabalho de desinfecção, com pulverização, que evaporará daqui a algum período, destruindo o vírus, se existir.

Após um detento que está custodiado no Complexo Policial de Delegacias ter testado positivo para covid-19, a prefeitura municipal de Feira de Santana realizou na manhã desta quinta-feira (30) a desinfecção no prédio. O caso ainda é considerado suspeito porque aguarda confirmação de exames no Laboratório Central da Bahia (Lacen). De acordo com o coordenador regional de polícia, delegado Roberto Leal, esse trabalho é muito importante para assegurar a segurança dos servidores e da população. Segundo ele, o complexo do bairro Sobradinho atende uma média de 250 pessoas diariamente.
“Desde a última segunda tivemos reuniões e através de parceria com a prefeitura e Câmara Municipal, eles nos auxiliaram e trouxeram essas providências. A gente quer que a higienização seja constante, pois isso é primordial para proteger os servidores e população. A gente entende que os policiais estão preocupados, todos têm família e vamos reunir esforços para um melhor atendimento, pois o andar dessa epidemia demonstra que fatalmente outras pessoas devem ser conduzidas aqui com a doença”, afirmou.
Segundo Roberto Leal, o preso que está com suspeita de covid-19 tem cerca de 13 dias custodiado no Complexo de Delegacias e já foi submetido a um exame sorológico na semana passada, que teve resultado negativo. Por esse motivo o preso continuou custodiado no local. Ainda conforme o delegado, ontem foi feito o exame de teste rápido, que não é 100% confiável, e constatou positivo.
“A secretaria municipal de saúde está nos auxiliando da forma como devemos agir em relação a esse preso, mas a providência inicial é a destinação desse preso, independente dele ter ou não covid-19, e é isso que estamos fazendo no momento”, disse o delegado.
O prefeito Colbert Martins informou que um desinfetante potente está sendo utilizado nesse trabalho de desinfecção, com pulverização, que evaporará daqui a algum período, destruindo o vírus, se existir. Ele agradeceu ao apoio da empresa Teiú, que disponibilizou os produtos de limpeza e disse ainda que além da desinfecção de todas as viaturas, também será feito o trabalho de limpeza na Delegacia da Mulher e no Complexo Investigador Bandeira, no Jomafa.


Colbert destacou que a prefeitura disponibilizou dois termômetros para medir a temperatura de todas as pessoas que circulam no complexo e que vereadores já foram ao local e distribuíram máscaras para serem utilizadas não só por quem trabalha, mas por quem frequenta a delegacia.

O prefeito acrescentou que vai conversar com Secretário estadual de Administração Penitenciária e Ressocialização, Nestor Duarte, para verificar o que é preciso fazer para resolver a situação. Segundo Colbert, existe a reivindicação para que o presídio regional de Feira possa receber presos em mais dias da semana e não apenas as quintas-feiras, como ocorre atualmente.
“O presídio só recebe presos a cada quinta-feira, nesse caso, as pessoas que chegarem aqui amanhã, ficam mantidas até a próxima quinta. Eles pedem que o presídio possa receber presos em outros dias também, pois o local aqui não é adequado para manter essa quantidade de presos, que está acima da capacidade”, disse Colbert.
Luiz Artur é diretor regional do Sindicato dos Policiais Civis em Feira de Santana (Sindpcoc) e confirma que a maior preocupação é com a transmissão do vírus, especialmente devido a quantidade de presos que estão custodiados no Complexo de Delegacias.
“O contato com os presos é diário. O policial pega o preso, leva pra custódia no Fórum e fica circulando com esse preso, colocando em risco o servidor, a população, estamos com o vírus aqui dentro e não adianta dedetizar. Se não tirar o preso, não tira o vírus. Nosso principal problema é a carceragem, estamos com uns presos aqui, o presídio regional tem seus critérios e não está recebendo os presos todos os dias, com isso acumula e é um absurdo”, destacou.
Luiz Artur ainda reclamou da falta de apoio do governo do estado e disse que os policiais estão tomando as precauções necessárias, dentro das possibilidades, tendo que comprar álcool e máscara para a própria proteção.

O vereador Zé Curuca, que é presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Feira, informou ao Acorda Cidade que a comissão recebeu um comunicado para fazer uma visita no complexo e que na visita foi constatada a falta de materiais de proteção ao covid-19.
“O presidente da Câmara designou a comissão de saúde e realmente precisa de uma pia para as pessoas lavaram a mão. Não tinha máscara, nem álcool gel. Conversamos com o prefeito Colbert Martins e agora estamos fazendo essa limpeza e desinfecção. Além disso, entregamos testes rápidos e máscaras no local”, afirmou.
(Acorda Cidade)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->