Com safra recorde de soja, Bahia tem fila de navios cargueiros no Porto de Cotegipe - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

5 de julho de 2020

Com safra recorde de soja, Bahia tem fila de navios cargueiros no Porto de Cotegipe



Atualmente, cada navio graneleiro precisa aguardar, em média, três semanas para conseguir aportar e ser carregado com soja.




A Bahia registra uma safra recorde de soja, com mais de 5.8 milhões de toneladas produzidas até maio, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Porém, o escoamento do produto enfrenta dificuldades, o que provoca uma fila de navios cargueiros no Porto de Cotegipe, na Base Naval de Aratu, em Salvador.

Atualmente, cada navio graneleiro precisa aguardar, em média, três semanas para conseguir aportar e ser carregado com soja. A fila já se estende até o mês de dezembro, o que faz com que alguns navios aguardem ancorados na Baía de Todos os Santos.

Segundo o diretor do Porto de Cotegipe, Jorge Pessoa, a chuva é um dos problemas para acelerar o carregamento dos navios. Nos últimos três meses, o fator meteorológico provocou a interrupção do serviço por 33 dias.

“O portão do navio é aberto. Todo nosso sistema é fechado, mas como o portão é aberto, se chove ou ameaça chover, para o carregamento, e isso diminui o fluxo. Por conta da chuva, o carregamento é interrompido. Os navios vão chegando e se enfileirando, vão se espalhando. Eles vão atrasando o carregamento e aguardando na Baía de Todos os Santos. Normalmente, carregamos um navio com 70 mil toneladas em dois dias e meio”, pontuou.

O Porto de Cotegipe é responsável pelo escoamento de 95% da soja produzida na Bahia. A expectativa é de que o processo de carregamento dure três meses a mais que o habitual. O serviço costuma chegar ao fim em outubro, mas, nesta temporada, deve ser prorrogado até janeiro de 2021.

Enquanto o processo de carregamento dos navios graneleiros depende do clima para operar, a colheita de soja na região oeste do estado segue a todo vapor. Os produtores do grão planejam aumentar em 30% a área plantada para o próximo ano.

“O reflexo da área plantada de soja para nós virá por conta da redução da área de algodão, que perdeu um pouco de preço. O consumo de roupas diminuiu. Então, o preço, como caiu, ampliaremos a área de soja”, explicou Luiz Stalke, assessor de agronegócio da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba).

A cotação de soja teve alta de 20% em relação ao ano passado. Atualmente, a saca do grão está estimada em R$ 84. O produto tem os países asiáticos como principal destino de exportação.

“A gente teve ótimos preços por conta do aumento do dólar. O valor em dólar da soja aumentou bastante. A troca foi muito boa para o produtor. A tendência de consumo ainda é grande. Temos um mercado consumidor mundial. Apesar de estar todo mundo isolado, ninguém para de se alimentar. Então, essa procura continuou e até aumentou”, concluiu Stalke.



Foto: Reprodução / Correio24Horas/G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->