Feira de Santana: Curto-circuito na rede elétrica assusta moradores; desesperada mãe joga filho do primeiro andar nos braços da tia - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

20 de agosto de 2020

Feira de Santana: Curto-circuito na rede elétrica assusta moradores; desesperada mãe joga filho do primeiro andar nos braços da tia



A proporção do curto-circuito foi tão grande que os moradores acharam que residências poderiam pegar fogo.


Moradores da Rua Concórdia, no bairro Caseb em Feira de Santana passaram por um momento desesperador na noite de quarta-feira (19) durante um curto-circuito na rede elétrica, causando diversas explosões. Para proteger o filho de três anos, uma mulher que estava no primeiro andar de uma residência chegou a jogá-lo nos braços da tia.

A proporção do curto-circuito foi tão grande que o agente de vendas e entregador, Gabriel Espinola, achou que a residência dele seria incendiada. Na rua diversos moradores gritavam, pendindo para as pessoas saírem de casa.


“Foi uma situação desesperadora não só para mim, mas para toda a vizinhança. Esse incêndio na rede elétrica tomou maiores proporções quando chegou em frente à minha casa porque tem um poste no passeio com aquela caixa transformadora. Quando o fogo chegou aqui começou a ter pequenas explosões e todo mundo gritando para que todos saíssem de casa, todo mundo ficou muito preocupado. Foi muito desesperador”, disse o morador 
Ele contou que no momento do curto-circuito a esposa e o filho estavam em casa e, que com medo de haver incêndio na residência, ela tomou a decisão de lançar o filho pela janela do fundo.

“No momento tinha duas pessoas na minha casa: minha esposa e meu filho. Quando o fogo tomou proporção maior, já estava praticamente na varanda da minha casa. Então, minha esposa apelou para a tia dela que mora aqui embaixo e aí pediu para ajudar naquele momento. Ela jogou a criança da janela que fica na parte do fundo da casa, e a tia, que por sinal nem firmeza no braço tem, conseguiu sustentar a criança de três anos de um lugar muito alto. Eu nem sei explicar, foi Deus mesmo que nos ajudou naquele momento. O incêndio já estava praticamente dentro de casa. A tia está com escoriações no braço e no rosto e a criança com escoriações nos braços porque a janela não era tão larga a ponto de ter espaço suficiente”, contou afirmando que a casa não foi atingida.
Ele acredita que o curto-circuito poderia ter sido evitado se a Coelba tivesse ido ao local fazer uma ligação solicitada há mais de um ano e na oportunidade seria possível observar que a fiação precisava de manutenção.

“No meu ponto de vista o que causou esse incêndio foi o descaso da empresa responsável pela manutenção. Minha casa foi construída recentemente, e a gente pediu a ligação da energia, mas a empresa informou que não poderia fazer a ligação porque a rede estava muito próxima e precisa de reavaliação. Mandaram uma equipe aqui e disseram que entre 30 ou 60 dias iriam efetuar o serviço, e esse serviço já tem um ano e meio sem ser feito. Minha casa está pronta e eu não posso morar porque está sem energia. Eu moro de favor na casa de baixo. Se eles estivessem vindo fazer a ligação da minha energia, eles poderiam ter observado que há um equipamento com defeito e realizado o reparo. Graças a Deus não houve uma tragédia, isso poderia matar uma família", relatou o morador.
A reportagem entrou em contato com a Coelba que enviará esclarecimento sobre o ocorrido ainda hoje. Uma equipe da empresa já esteve no local.



Créditos das imagens: Reprodução/Mídias Sociais/Acorda Cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->