MAIS UMA FRAUDE BOLSONARISTA? 😡 Universidade espanhola nega pós-graduação que Kassio Marques diz ter feito; desembargador foi indicado ao STF 😡 - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

7 de outubro de 2020

MAIS UMA FRAUDE BOLSONARISTA? 😡 Universidade espanhola nega pós-graduação que Kassio Marques diz ter feito; desembargador foi indicado ao STF 😡



A Universidad de La Coruña, na Espanha, negou a existência de um curso de pós-graduação supostamente feito pelo desembargador Kassio Nunes Marques, indicado do presidente Jair Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do jornal O Estado de São Paulo (Estadão), desta terça-feira (6/10).




Em documento enviado ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), publicado no site da Corte, Marques menciona que concluiu pós-graduação em “Contratación Pública”, pela Universidad de La Coruña. A instituição, porém, informou que não oferece nenhuma pós-graduação deste curso. Em resposta ao Estadão, declarou: "Informamos que a Universidade de La Coruña não ministrou nenhum curso de pós-graduação com o nome de Postgrado en Contratación Pública".

O desembargador, no entanto, participou de um curso de apenas quatro dias, em setembro de 2014. "Kassio Nunes Marques participou como ouvinte do “I Curso Euro-Brasileiro de Compras Públicas’, organizado pela Universidade da Coruña, o Programa Ibero-Americano de Doutorado de Direito Administrativo, a Rede Ibero-americana de Compras Públicas, o Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos de Infraestrutura e Grupo de Pesquisa de Direito Público Global, realizado na Escola de Direito da Corunha entre 1 e 5 de setembro de 2014", informa o certificado da instituição.

Ainda conforme a reportagem do Estadão, o caso repercutiu e, em audiência virtual nesta terça-feira (6/10), com sete senadores, Kassio Marques mostrou preocupação com o tema, mas disse que já tinha as justificativas. Mencionou, ainda, que não há exigência de formação em Direito para que alguém assuma o posto de ministro do STF, mas, sim, uma reputação ilibada é requerida.



Crédito da Foto: divulgação/Ramon Pereira/Ascom-TRF1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->