Seis pessoas são condenadas por chacina em Porto Seguro - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

24 de outubro de 2020

Seis pessoas são condenadas por chacina em Porto Seguro





Responsáveis por crime que deixou oito mortos deverão cumprir de 195 a 248 anos de prisão



Os responsáveis pela chacina que deixou oito mortos em Porto Seguro, no extremo sul da Bahia, em 2017, foram condenados na sexta-feira (23).

A decisão proferida pela 1ª Vara Criminal condena os criminosos a penas que variam entre 195 e 248 anos de prisão. Os autores do crime são Antônio José dos Reis, condenado a 248 anos; Isnaldo Silva Santos (195 anos); Rafael Miranda Nascimento (195 anos); Ueber Souza dos Santos (195 anos); Jackson Araujo Nascimento (202 anos); e Walas Silva dos Santos (202 anos).

Crime

Em 5 de fevereiro de 2017, após voltarem de uma festa de “paredão”, oito jovens que estavam em uma casa no bairro de Porto Alegre I foram surpreendidos pelos criminosos armados, que chegaram ao local em uma caminhonete, atiraram e fugiram.

Na época do ocorrido, os responsáveis pelos disparos chegaram a fingir que eram policiais ao passar pelo local do crime. Em depoimento, os sobreviventes afirmaram que a chacina só não teve mais mortos porque a munição dos criminosos tinha acabado.Vítimas da chacina em Porto Seguro. 
Foto: Reprodução / Redes sociais


Entre os mortos, estavam quatro filhos de policiais: Gabriel Lobo Fernandes, 22 anos, filho do falecido Policial Militar Sidinei dos Santos Fernandes; Igor Lelis dos Santos Santana, 20, filho do PM Josenilton dos Santos Santana; os irmãos Victor Cláudio do Nascimento Bispo, 20 anos e Caio Felipe Nascimento Bispo, 17, filhos do Policial Civil Cláudio dos Santos Bispo.

Além dos já citados, morreram também Vinicius Bispo dos Santos, que era cabo da Aeronáutica, os irmãos Gabriel de Jesus Feitosa, 25, e Leandro de Jesus Feitosa, 21, e Felipe Ricardo Lopes Borges, 27. Uma nona vítima sobreviveu e foi internada em estado grave, após ser baleada na cabeça.


Foto Amazônia Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->