"Assassino do Twitter": homem é condenado à morte no Japão após confessar crimes - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

terça-feira, dezembro 15, 2020

"Assassino do Twitter": homem é condenado à morte no Japão após confessar crimes






Takahiro Shiraishi revelou ter matado as nove pessoas para "satisfazer sua vontade sexual com pessoas que desejavam morrer". Takahiro Shiraishi, de 30 anos, confessou 9 assassinatos e foi condenado a morte.



Nesta terça-feira (15), o Tribunal Distrital de Tóquio, no Japão, condenou um homem à morte após ele confessar ter matado nove pessoas, com idades entre 15 e 26 anos, em um caso de homicídio em massa ocorrido em 2017. O acusado ficou conhecido como o "assassino do Twitter" pelo fato de usar a rede social para encontrar suas vítimas.

Segundo informações da CNN, Takahiro Shiraishi, de 30 anos, disse que matou as jovens para "satisfazer sua vontade sexual com pessoas que desejavam morrer". Ele foi condenado pelos crimes de assassinato , violação e também por desmembramento e armazenamento dos corpos, que foram encontrados dentro do apartamento em que morava em Zama, na província de Kanagawa.
Continua após a publicidade

O resultado do julgamento ocorre após três anos do caso, tempo em que Shiraishi passou na prisão. A confirmação da autoria dos crimes só foi possível após a polícia revistar o apartamento do acusado durante buscas por uma mulher de 23 anos que havia desaparecido após postar mensagens suicidas no Twitter.

De acordo com informações de emissoras de TV locais, a polícia encontrou pedaços dos corpos de algumas das vítimas em caixas frigoríficas que ficavam no quarto de Shiraishi. Era para lá que ele atraia as pessoas que encontrava na internet, todas com um mesmo perfil, com a promessa de "ajudá-las a morrer ".

Conforme acrescentado pela NHK, o acusado não pretende recorrer do veredito e aguardará a conclusão da sentença, que se dará por enforcamento, até que o ministro da Justiça do Japão assine a ordem de execução.



Fonte: iG  / Foto ::: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->