Flávio Bolsonaro enviou material da Abin a advogados e "pessoas de confiança" - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

quarta-feira, dezembro 16, 2020

Flávio Bolsonaro enviou material da Abin a advogados e "pessoas de confiança"



Segundo informações, envio foi feito via WhatsApp e havia a informação de que se tratavam de documentos produzidos pela Agência Brasileira de Inteligência. Em mensagem, Flávio dizia que material foi produzido pela Abin



Após determinação da ministra Cármen Lúcia na última segunda-feira (14), a Abin e o GSI se manifestaram e negaram a existência de documentos para auxiliar a defesa do senador Flávio Bolsonaro no processo da "rachadinha" em seu gabinete nos tempos da Alerj. Porém, informações divulgadas nesta quarta-feira (16) mostram que o filho do presidente recebeu material da Agência Brasileira de Inteligência e repassou para advogados e "pessoas de confiança".

Segundo informações do blog do jornalista Lauro Jardim, Flávio Bolsonaro enviou os relatórios aos seus advogados e a um número restrito de pessoas via WhatsApp. No texto, constava a informação de que se tratava de material produzido pela Abin.

A divulgação ocorre poucas horas depois de Alexandre Ramagem, diretor-geral da Abin , e o ministro Augusto Heleno, do GSI , acatarem decisão da ministra, que deu 24h para que uma resposta fosse dada , e negarem oficialmente o conhecimento sobre os dois relatórios da agência que vazaram na última semana.

Ainda de acordo com a publicação, tal postura já era prevista pelo fato de o material não ter sido confeccionado de forma oficial e não existir a assinatura de algum agente ou chefe das duas instituições e nem o tibre da própria Abin em nenhum deles.

A expectativa agora, com a negativa da autoria do material, é que o STF inicie uma investigação para descobrir quem foi o responsável pela divulgação do conteúdo ao senador Flávio Bolsonaro e se houve ou não a participação da Abin e do GSI no caso.




Fonte: iG / Foto ::: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->