Empresária é morta por dívida de R$ 15 mil; corpo da vítima apresentava sinais de agressão e estrangulamento - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

sexta-feira, janeiro 22, 2021

Empresária é morta por dívida de R$ 15 mil; corpo da vítima apresentava sinais de agressão e estrangulamento



O corpo de uma empresária, identificada como Gilvanete de Souza Nogueira, de 52 anos, foi encontrado com marcas de agressões e estrangulamento na tarde da quinta-feira (21/1), por cães farejadores da Polícia Militar, na zona rural de Barra do Choça. A vítima estava desaparecida desde a terça-feira (19/1), após ter sido vista na Galeria Joaquim Correia, Centro de Vitória da Conquista, a 517 km de Salvador.


O delegado Elvander Rodrigues de Miranda, do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco/Conquista), informou que a família de Gilvanete procurou a delegacia para registrar seu desaparecimento, após ela ter saído para encontrar um homem que lhe devia uma quantia em dinheiro. 

O principal suspeito do crime é um comerciante, de 38 anos, que contraiu uma dívida de R$ 15 mil com a vítima após a mulher autorizar que ele utilizasse o CNPJ dela para fazer compras. Investigações apontam que o homem o já havia passado um cheque sem fundos para saldar a dívida. De acordo com as autoridades, a vítima avisou a uma amiga que iria encontrar o comerciante e que estava apreensiva.

Gilvanete não deu mais notícias e a polícia procurou o homem, que disse ter dado uma carona a ela e que a teria deixado em uma rua do município. Imagens de câmeras de monitoramento posicionadas no trajeto descrito pelo suspeito foram analisadas por equipes do Draco, o que permitiu aos investigadores constatar que as informações eram falsas.

A prisão dele foi solicitada à Justiça e, após o cumprimento do mandado, os investigadores descobriram o local onde ele havia deixado o corpo da vítima. A investigação revelou que o assassino a matou para não pagar a dívida contraída. Ele ficará custodiado à disposição da Justiça.



Crédito da Foto: arquivo/Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->