Dezoito gatos são mortos por envenenamento em condomínio de luxo em Camaçari; 14 animais estão desaparecidos - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

quinta-feira, março 11, 2021

Dezoito gatos são mortos por envenenamento em condomínio de luxo em Camaçari; 14 animais estão desaparecidos



Moradores de um condomínio de luxo em Camaçari, na região metropolitana de Salvador, denunciaram a morte de vários gatos dentro do condomínio Parque Interlagos. De dezembro de 2020 até agora, 18 animais foram encontrados mortos no local e 14 estão desaparecidos. Após a realização da necropsia, foi revelado que a causa da morte é envenenamento por chumbinho, um produto que tem comercialização proibida no Brasil e é altamente perigoso para animais e seres humanos.


Os bichos, originalmente de rua, vinham sendo alimentados e cuidados por moradores. Uma delas é Cristina Soares de 71 anos. Ela revelou que o envenenamento de animais é um problema antigo no local, mas em 35 anos morando no condomínio, essa é a primeira vez que se depara com a morte de tantos gatos em um curto período de tempo. Ela disse ter amor pelos animais que circulam pelas ruas do condomínio e revelou estar triste com a situação. “Eles [os gatos] vivem nas nossas casas, dormem com a gente e brincam com nossos filhos e, de repente, aparecem mortos. As crianças choram muito. É muito triste o que está acontecendo”, revelou.

De acordo com Soares, a suspeita atual é a de que o autor do crime esteja despejando o chumbinho nos potes de ração que ficam do lado de fora das casas. “Tem uma casa aqui que a moça gosta muito dos gatinhos, então ela coloca a comida do lado de fora do portão e 10 gatos morreram. Quando ela viu que eles foram envenenados, correu pra pegar o pratinho de comida, mas já tinham levado”.

Já para Silvia Lobo, de 67 anos, os animais estão sendo atraídos e envenenados em uma casa específica que ainda não foi identificada. “Há dois meses fomos surpreendidos pela matança generalizada no condomínio. Todo gato que passa na Rua dos Dormentes (que fica no local) e entra em uma determinada casa, que a gente não sabe qual é, morre”.

Ela ainda revelou que a presença dos bichos incomoda alguns moradores, por eles defecarem nos quintais e por beberem água das piscinas. Silvia conta que, após o aparecimento de gatos mortos, ela precisou construir em sua própria casa um local para manter os seus animais presos. “Eu não posso deixar meus gatos soltos, porque alguém pode querer matar um ser vivo. É uma coisa cruel”.

As moradoras apontam que mesmo após fazerem as denúncias ao Ministério Público, em Fevereiro, os animais continuam sendo encontrados mortos no condomínio. Por conta disso, decidiram incluir mais câmeras de segurança no local, na tentativa de encontrar o autor dos crimes. O Condomínio fica na Zona de Proteção Ambiental, o que aumenta a gravidade do uso de um veneno que pode estar atingindo também animais silvestres, como macacos e saruês.

Procurada pela equipe de reportagem do Aratu On, a delegada Danielle Monteiro, da 26ª Delegacia de Polícia de Abrantes, informou que o caso está sendo investigado. Ela revelou que além de ouvir os moradores, os policiais também coletaram imagens das câmeras de segurança para chegar até as pessoas envolvidas.

Abandonar ou maltratar um animal é um crime previsto na Lei 14.064 de 2020, que estabelece penas de até cinco anos de cadeia por maus-tratos a cães e gatos.


Um dos laudos de exame necroscópico realizados pelo laboratório de patologia veterinária da Ufba que apontam envenenamento por chumbinho.



*Sob orientação do editor, Jean Mendes/Aratu On /  Foto ::: Reprodução 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->