DIAS D’ÁVILA @ Denuncia de Vacinação fraudada nos postos de atendimento não procede segundo apuração da reportagem e nota da ANVISA - Observador Independente

Acontecendo

Bem-vindo! Hoje é

terça-feira, março 30, 2021

DIAS D’ÁVILA @ Denuncia de Vacinação fraudada nos postos de atendimento não procede segundo apuração da reportagem e nota da ANVISA



Felizmente a prefeitura de Dias D’Ávila, na RM de Salvador, vem promovendo a vacinação da população e as pessoas começam a voltar parcialmente às suas rotinas. De parabéns, portanto, o atual gestor do município e o seu secretário de saúde.

Mas nem tudo são flores, já que começam a aparecer denuncias de supostas fraudes sendo praticadas em postos de vacinação, conforme relato de idosos que foram se vacinar nesta terça-feira, 30.

Os fatos:

Um idoso que pediu para não se identificar, nos procurou na tarde desta terça-feira, 30, para relatar um fato no mínimo estranho.

Ele se dirigiu ao posto de vacinação drive thru do bairro da URBIS e ao se vacinar, alega que a enfermeira que estava de serviço aplicou só metade da dose da vacina. O fato se deu por volta das 14h30, e segundo a testemunha, a enfermeira aplicou metade da dose contida no frasco da vacina CoronaVac.  Ao ser questionada informou que a outra metade seria guardada para uma segunda dose que acontecerá para a sua faixa de idade, em junho.

A entrevista entre a reportagem e os idosos que levantaram a suspeita não foi gravada, mas eles asseguram a intenção de ajudar na fiscalização.

Suspeita infundada

Logo, com o povo já assustado, surge a suspeita de que está havendo desvio de finalidade na aplicação da vacina uma vez que obviamente quando a vacina é perfurada (se for de dose única) ela deve ser aplicada de uma única vez.

Entretanto no caso da vacina embalada em fracos multi dose, o máximo a ser extraído é 0,5 ml por individuo o que pode estar acontecendo.

A reportagem foi verificar com a ANVISA sobre a situação que enviou os seguintes esclarecimentos:

O Alerta 12021/2021, emitido pela Anvisa na ultima terça-feira (26), chama a atenção para os cuidados referentes à administração da vacina CoronaVac apresentada em frasco multidose de 5 ml. O objetivo é prevenir a ocorrência de eventuais erros.

Os profissionais de saúde envolvidos na aplicação do produto devem se certificar de que o volume a ser aspirado do frasco multidose é de 0,5 ml por indivíduo, de modo que cada um receba somente a dose exata e necessária. Ademais, todas as doses devem ser utilizadas num prazo de até oito horas após a abertura do frasco multidose, desde que ele seja mantido em condições assépticas e sob temperatura entre +2°C e +8°C. Essa medida visa garantir as propriedades do imunizante, uma vez que a vacina não contém conservantes.

Leia a íntegra do Alerta 12021/2021.

Entenda

As primeiras seis milhões de doses da CoronaVac, aprovadas pela Anvisa para uso emergencial em 17/1, foram importadas diretamente da China em sua embalagem final, contendo uma única dose de 0,5 ml cada (frasco monodose). Em 22/1, a Agência autorizou o segundo pedido para uso emergencial da CoronaVac – nesse caso, para lote de vacinas envasadas pelo Instituto Butantan em frasco-ampola multidose, contendo 10 doses em cada unidade. Com essas autorizações, hoje estão disponíveis para vacinação duas apresentações diferentes do imunizante.

Notificação de eventos adversos

A notificação espontânea é o principal canal de informação das reações adversas. A partir dessas notificações é que são gerados novos dados sobre a segurança de medicamentos e vacinas. Por isso é tão importante a contribuição de todos.

Relate suspeitas de reações adversas ou erros de medicação e contribua para a adoção de medidas de prevenção! Para isso, acesse o VigiMed, o sistema eletrônico de notificação da Anvisa.

Devido ao horário do atendimento ao caso não foi possível esclarecer junto à Secretaria de Saúde do município o que de fato está acontecendo, lembrando que, obviamente, após consulta à ANVISA e os esclarecimentos respectivos, a denuncia pode ter sido apenas pelo pavor dos idosos em não receber a vacina na sua totalidade.

Pelo relato destes o que de fato pode ter ocorrido é a profissional ter agindo corretamente segundo a resposta da Anvisa.

A editoria se coloca à disposição da Secretaria de Saúde do município para outros esclarecimentos se considerar necessário.


Fotos :::: Divulgação / Anvisa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opínião

-->