Header Ads Widget

Via1

QUEREM MATAR O POVO DE QUALQUER JEITO ūü§¨Ap√≥s nova orienta√ß√£o do Minist√©rio da Sa√ļde, governo da Bahia diz que n√£o √© poss√≠vel usar estoque de vacina como 1¬™ dose ūü§¨ Antes n√£o tinha vacina, agora que tem ...



Em nota, Secretaria da Sa√ļde informou que orienta√ß√£o contraria acordo firmado em reuni√£o t√©cnica com estados e munic√≠pios e informe t√©cnico do pr√≥prio minist√©rio.


O governo da Bahia anunciou, na manh√£ deste segunda-feira (22), que n√£o √© poss√≠vel utilizar como 1¬™ dose todas as vacinas armazenadas pelos estados e munic√≠pios para garantir a 2¬™ dose, conforme nova orienta√ß√£o do Minist√©rio da Sa√ļde (MS).

Em nota, a Secretaria de Sa√ļde do Estado da Bahia (Sesab) disse que a nova orienta√ß√£o do MS est√° errada e contraria o acordo firmado em reuni√£o t√©cnica com estados e munic√≠pios, realizada em 19 de mar√ßo, e o informe t√©cnico encaminhado no mesmo dia pela Secretaria de Vigil√Ęncia em Sa√ļde do Minist√©rio da Sa√ļde (SVS).

"A orientação correta a ser observada é a seguinte: somente as vacinas Coronavac/Butantan entregues nos dias 17 e 20 de março (8ª e 9ª pautas de distribuição) devem ser integralmente utilizadas como primeira dose, conforme acordado", disse a nota da Sesab.

A nota ainda destaca que "não é possível a utilização de todo o estoque existente, pois as doses distribuídas em etapas anteriores já estão sendo utilizadas como segunda dose, garantindo assim, a imunização em 28 dias, conforme previsto no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, pela fabricante da vacina e na autorização emergencial da Anvisa para utilização da Coronavac".

Nova orientação

O Minist√©rio da Sa√ļde autorizou no domingo (21) que todas as vacinas armazenadas pelos estados e munic√≠pios para garantir a 2¬™ dose sejam utilizadas imediatamente como 1¬™ dose. Segundo a pasta, o objetivo √© ampliar o n√ļmero de vacinados no Brasil.

Em nota, a pasta informou que "a medida já vinha sendo estudada há cerca de duas semanas, e foi atendida após garantia da segurança das entregas por parte dos fornecedores". Decisão levou em consideração a previsão de entrega das vacinas produzidas pelo Instituto Butantan e pela Fiocruz.


 Foto: Rafael Menezes/Sesab

Postar um coment√°rio

0 Coment√°rios